quarta-feira, 16 de setembro de 2020

Progênie

 Bom Dia , mais alguns conhecimentos para Você ...

 

     Quando falamos em PROGÊNIE na Cinofilia , estamos pedagogicamente nos referindo a uma família de cães .

     Imagine um determinado exemplar : sua PROGÊNIE é estabelecida a partir da análise dos seus ascendentes - pais , avós , bisávos , etc . - até seus descendentes , quanto

á capacidade de transmissão de aspecto tanto morfológicos ( forma , estrutura , fenótipo ) , quanto fisiológicos ( funções orgânicas vitais , genótipos ) .

     A ciência que estuda a capacidade de um cão transmitir para seus descendentes , com maior ou menor fidelidade , as suas características genéticas é a Zootecnia . Estudar

a PROGÊNIE de um cão que poderá contribuir de maneira significativa para manutenção e a melhoria de uma determinada raça e a tarefa de selecionar padreadores ( machos reprodutores ) e matrizes ( fêmeas reprodutoras ) , que se configurem de forma mais próxima a um determinado padrão racial recebido de seus ascendentes . 

   Existem basicamente 04 formas de cruzamentos . 

   São elas :

--- INBREEDING :  cruzamento entre parentes mais próximos . Por exemplo : pais e filhos , irmãos , meio-irmãos , etc .

--- LINE - BREEDING :  cruzamento entre cães com muitos ancestrais em comum . Por exemplo : avós com netos , tios e sobrinhos , entre primos , etc .

--- OUTCROSSING :  cruzamento entre cães que são produtos de um " LINE-BREEDING " , mas , de duas linhas de sangue diferentes , ou seja , de famílias diferentes .

--- OUTBREEDING : cruzamento entre cães sem relação de parentesco .    

    " Quando criadores fazem cruzamentos entre parentes muito próximos , acontecem um fechamento da linhagem. Por outro lado , isso é bom , pois as características desejadas serão altamente perpetuadas e o criador detém um plantel com uma linhagem específica . Porém estes cruzamentos também são perigosos , pois com certeza , anomalias genéticas são tarnsmitidas . Por isso , é muito importante que este tipo de cruzamento só seja feito por um especialista na aréa , de preferência , um médico veterinário .

    O OUTCROSSING é um tipo de cruzamento muito utilizado quando o criador procura buscar qualidades superiores em cães de outra família para agregar ao seu palntel ou , ainda , quando busca a correção de algum detalhe nos seus exemplares .

   As técnicas citadas são feitas baseadas na carga genética do animal que o criador quer fixar . Mas , existe um tipo de cruzamento que é feito de fora pra dentro , o OUTBREEDING . Aqui , é analisado o fenótipo do cão e não sua linhagem genética , ou seja , a pessoa interessada em fazer a cria se atenta apenas ás características físicas do animal com o qual irá cruzar o seu cão . É ai que mora o perigo . " Quando as pessoas decidem cruzar o seu pet com outro qualquer , analisando apenas suas características externas , elas podem estar cometendo um grande erro . Afinal , nem sempre o que parece ser é . As vezes , o que o proprietário pensa ser legítimo " dachshund " pode não ser e , de repente , a cria pode vir com defeitos genéticos e , principalmente , desvios de temperamento " .

    Por isso , é muito importante que a PROGÊNIE seja analisada antes de se fazer qualquer tipo de cruzamento . 

    Vale lembrar que , quando se fala em beleza canina , não significa que a referência seja somente á beleza estética . O principal objetivo é a beleza funcional de exemplares diante dos padrões estabelecidos para a raça , onde se analisa e avalia o cão estática e dinamicamente .

  

   OBS : Proprietários de cães , que resolvem virar criadores , devem conhecer e adquirir mais conhecimento sobre as técnicas citadas anterioremente , saber analisar um pedigree e conhecer sobre a história genética de determinada família de cães . Porém muitos cruzamentos são feitos baseados apenas em dois cães que os novos criadores acham bonitos ou , simplesmente , porque são vizinhos . Sem uma análise crítica da PROGÊNIE dos exemplares envolvidos , não há segurança do cruzamento ser bem sucedido , no que diz respeito á fidelidade ao padrão da raça .     

 

   ESPERO QUE TENHA GOSTADO E APRENDIDO UM POUQUINHO !     

 

   

sábado, 20 de junho de 2020

A Composição Genética da Raça:

FIQUEM ATENTOS! DACHSHUND

A Composição Genética da Raça:

Todas as cores estão presentes em todas as raças, porém o homem foi selecionando as raças de acordo com as suas funções e selecionaram também as cores que seriam cabíveis para cada raça.

Com isso no Dachshund fixaram-se as cores, preto (sempre com manchas tan), canela (com todas as suas tonalidades), chocolate (sempre com manchas tan), e o arlequim. Dentre estas cores que são as comuns no dachshund podemos citar a cor preta como dominante e as cores canela (ee) e chocolate (bb) como recessivas. O arlequim é uma variação de pelagem com carater dominante, porém ele está sempre acompanhado também do preto, canela ou chocolate.

Devemos frisar aqui que a pelagem arlequim tem um carater dominante portadora de uma doença letal chamada de fator merle. Esta doença se manifesta quando existe um cruzamento entre os dois cães arlequins (Mm x Mm). O arlequim sadio se manifesta em heterozigose (Mm) e por isso sempre devemos acasalar o arlequim com uma cor sólida, como o preto (mm), chocolate (mm) ou canela (mm). Se acasalado arlequim (Mm) com arlequim (Mm) poderá nascer grande parte da ninhada homozigota (MM) assim sendo todos com o fator merle podendo ser cegos, surdos, estéreos ou com alguma má formação nos órgãos.

Não costuma-se acasalar arlequins com cães da cor canela e suas variações (dourado, vermelho e creme) pois nascem filhotes com manchas menos definidas e pouco destacadas. Mas existem criadores que fazem este tipo de acasalamento pois na verdade não é proibido.

Também é bom lembrar que as cores recessivas não devem se misturar (canela e chocolate). Duas cores recessivas misturadas direta ou indiretamente podem produzir duplos recessivos (eebb). Estes tem o fenótipo canela porém eles portam olhos claros e trufa rosa ou marron. Estes cães tem predisposição a ter câncer de pele, dermatites crônicas e displasia folicular. É uma cor fora do padrão.

A displasia folicular se manifesta também em outras cores de pelagens fora do padrão e (ou) diluídas como a cor cinza ou izabela. A displasia folicular não tem cura, é uma doença de origem genética e pode ser controlada com muito tratamento e acompanhamento veterinário.

O padrão tem tudo haver com a saúde das raças, ele existe exatamente para dar um suporte ao criador, os orientando baseando-se nas características fenotípicas, e indiretamente nas genotípicas também. Se no padrão diz que não é correto isto ou aquilo procure se informar e verá que está relacionado com a função do cão ou diretamente com a saúde dos mesmos.