segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Cuidado ao verem anúncios de Dachshunds raros, , arlequins brancos e etc...

Não existe Dachshund Branco.....
Todas as cores estão presentes em todas as raças, porém o homem foi selecionando as raças de acordo com as suas funções e selecionaram também as cores que seriam cabíveis para cada raça.
Com isso no Dachshund fixaram-se as cores, preto (sempre com manchas tan), canela (com todas as suas tonalidades), chocolate (sempre com manchas tan), e o arlequim. Dentre estas cores que são as comuns no dachshund podemos citar a cor preta como dominante e as cores canela (ee) e chocolate (bb) como recessivas. O arlequim é uma variação de pelagem com carater dominante, porém ele está sempre acompanhado também do preto, canela ou chocolate.
Devemos frisar aqui que a pelagem arlequim tem um carater dominante portadora de uma doença letal chamada de fator merle. Esta doença se manifesta quando existe um cruzamento entre os dois cães arlequins (Mm x Mm). O arlequim sadio se manifesta em heterozigose (Mm) e por isso sempre devemos acasalar o arlequim com uma cor sólida, como o preto (mm), chocolate (mm) ou canela (mm). Se acasalado arlequim (Mm) com arlequim (Mm) poderá nascer grande parte da ninhada homozigota (MM) assim sendo todos com o fator merle podendo ser cegos, surdos, estéreos ou com alguma má formação nos órgãos.
Não costuma-se acasalar arlequins com cães da cor canela e suas variações (dourado, vermelho e creme) pois nascem filhotes com manchas menos definidas e pouco destacadas. Mas existem criadores que fazem este tipo de acasalamento pois na verdade não é proibido.
Nenhuma descrição de foto disponível.
Também é bom lembrar que as cores recessivas não devem se misturar (canela e chocolate). Duas cores recessivas misturadas direta ou indiretamente podem produzir duplos recessivos (eebb). Estes tem o fenótipo canela porém eles portam olhos claros e trufa rosa ou marron. Estes cães tem predisposição a ter câncer de pele, dermatites crônicas e displasia folicular. É uma cor fora do padrão.
A displasia folicular se manifesta também em outras cores de pelagens fora do padrão e (ou) diluídas como a cor cinza ou izabela. A displasia folicular não tem cura, é uma doença de origem genética e pode ser controlada com muito tratamento e acompanhamento veterinário.

Nenhuma descrição de foto disponível.
O padrão tem tudo haver com a saúde das raças, ele existe exatamente para dar um suporte ao criador, os orientando baseando-se nas características fenotípicas, e indiretamente nas genotípicas também. Se no padrão diz que não é correto isto ou aquilo procure se informar e verá que está relacionado com a função do cão ou diretamente com a saúde dos mesmos

Nenhum comentário:

Postar um comentário