segunda-feira, 13 de março de 2017

Padrão do Pug














CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA

Filiada à Fédération Cynologique Internationale



Classificação F.C.I.:

Grupo 9 - Cães de Companhia

Seção 11 - Cães Molossos de Pequeno Porte



Padrão FCI no 253 - 02 de setembro de 2009.

País de origem: China

País Patrono: Grã-Bretanha

Nome no país de origem: Pug

Utilização: Companhia - Sem Prova de Trabalho



NOMENCLATURA CINÓFILA UTILIZADA NESTE PADRÃO


1 – Trufa 13 – Perna 25 – Braço
2 – Focinho 14 – Jarrete 26 – Ponta do Esterno
3 – Stop 15 – Metatarso 27 – Ponta do Ombro
4 – Crânio 16 – Patas
5 – Occipital 17 – Joelho
6 – Cernelha 18 – Linha inferior
7 – Dorso 19 – Cotovelo a – Profundidade do Peito
8 – Lombo 20 – Linha do solo
9 – Garupa 21 – Metacarpo b – Altura do Cotovelo
10 – Raiz da cauda 22 – Carpo
11 – Ísquio 23 – Antebraço a + b = Altura do Cão na Cernelha
12 – Coxa 24 – Nível do Esterno na Cernelha






APARÊNCIA GERAL: decididamente quadrado e massudo, ele é “multum in parvo” (cão compacto e atarracado), como mostra sua forma compacta, suas boas proporções e sua musculatura rija.



COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: charmoso, digno e inteligente. Equilibrado, feliz e de muita disposição.



CABEÇA: larga, redonda, não em forma de maçã.



REGIÃO CRANIANA

Crânio: sem sulco. Rugas claramente definidas.



REGIÃO FACIAL

Trufa: narinas bem abertas.

Focinho: curto, truncado, não arrebitada.

Maxilares / Dentes: ligeiramente prognata inferior. Torção de mandíbula, dentes ou língua à mostra são altamente indesejá-veis. Mandíbula larga com os incisivos, quase em uma linha reta.

Olhos: escuros, muito grandes, de forma globular, expressão doce e afetuosa, muito brilhantes e quando o cão está excitado, cheios de fogo.

Orelhas: finas, pequenas, macias como veludo preto. Há dois tipos:

• orelha em rosa: pequena, caída, que se dobra para trás e descobre o pavilhão auditivo externo;

• orelha em botão: caída para a frente, a extremidade junto ao crânio, de maneira a cobrir o orifício da orelha e direcionada para os olhos. A preferência é dada às últimas.



PESCOÇO: ligeiramente arqueado para se assemelhar a uma crista; forte, espesso, com bastante comprimento para portar a cabeça orgulhosamente.



TRONCO: curto e compacto.

Dorso: linha superior plana; nem selada, nem carpeada.

Peito: largo e com boas costelas.



CAUDA (espiral): inserida alta, enrolada tão firmemente quanto possível sobre a anca. Enrolada duas vezes, é altamente desejável.



MEMBROS

Anteriores: pernas muito fortes, retas, de comprimento moderado, bem colocadas

debaixo do corpo.

Ombros: bem inclinados.

Posteriores: pernas muito fortes, de comprimento moderado, bem debaixo do corpo,

retos e paralelos, quando vistos por trás.

Joelhos: bem angulados.



PATAS: não tão compridas quanto os pés de lebre e nem tão redondas quanto os pés de gato; dedos bem separados, unhas pretas.



MOVIMENTAÇÃO: vistas de frente, as pernas anteriores devem se movimentar bem debaixo dos ombros; as patas bem direcionadas para a frente, não virando nem para dentro, nem para fora. Vistas por trás, a ação deve ser igualmente correta. Usa os anteriores com grande força, colocando-os o mais à frente possível, com os posteriores se movendo livremente, fazendo um bom uso dos joelhos. Um ligeiro “roll” dos posteriores é típico dos seus movimentos.



PELAGEM

Pelo: fino, liso, macio, curto e brilhante, nem duro, nem lanoso.

COR: prata, abricó, fulvo ou preto. Cada uma claramente definida para fazer um completo contraste entre as cores, o traço (uma linha preta que se estende do occipital até a raiz da cauda) e a máscara. Marcas claramente definidas. O focinho, a máscara, orelhas, marcas nas bochechas, marca do polegar ou diamante na testa e o traço devem ser o mais preto possível.



PESO: 6,3 kgs a 8,1 kgs.



FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão.



NOTAS:

• os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos e acomodados na bolsa escrotal.

• todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário