sexta-feira, 15 de julho de 2016

Coprofagia. COMER COCÔ !! COMPREENDER PRIMEIRO PASSO PARA CURA !!

COMER COCÔ !! COMPREENDER PRIMEIRO PASSO PARA CURA !! 

Coprofagia em cães, uma palavra estranha para nomear uma doença de comportamento mais estranho ainda : comer fezes. 
Eca! é a primeira palavra de expressão ao ler essa frase, e com certeza a segunda de muitos leitores será : Meu mocinho faz isso !! Infelizmente essa doença não é tão rara , sendo mais mais comum em certas raças , a grande maioria dos cães apresentam. 
Antes de tudo devemos nos atentar Comer fezes pode não ser repugnante para o cão e pode representar uma fonte de alimento a mais ou ser apetitosa para o cão, ou seja , mesmo que à nossos olhos não seja apreciado , muitas vezes pela necessidade de nutrientes ou por questões de sabor, será necessário para nossos peludos PERIGOS DE INGERIR COCÔ 
Se um cão come as próprias fezes, o risco para ele próprio não é tão grande quanto se ele consumisse as fezes de outro animal. 
No entanto, as bactérias e os parasitos das fezes podem ser transmitidos aos seres humanos e a outros animais, o que representa um grande perigo para sua família. 
Quando um cão come as fezes de outro animal, sejam as de outro cão ou mesmo de um gato, ele corre o risco de ingerir ovos de parasitos intestinais e bactérias que podem levar a doenças graves. 
Diarreia é o sinal mais comum, porém podem ocorrer bronquites, encefalites e muitas outras doenças que podem ser fatais e são causadas por bactérias, vermes e parasitos existentes em fezes. 
Esse comportamento não foi totalmente desvendado pelos especialistas, mas devido à muitos estudos , as teorias apontam que coprofagia está ligada ao instinto de preservação, reprodução do comportamento da mãe, distúrbios psicológicos e até deficiências nutricionais . Encontrar o motivo que leva nossos moços assumir essa postura é o primeiro passo para eliminar o comportamento. 
MOTIVOS QUE LEVAM À COPROFAGIA A coprofagia pode ser desencadeada por uma série de fatores e, em algumas etapas da vida, esse comportamento se torna comum tais como e já esperado :
 CAUSA NATURAL *As mamães costumam ingerir as fezes de seus bebês para mantê-los limpinhos e estimular a musculatura anal ate eles aprenderem a fazer seu cocô sozinhos .
 Alguns filhotes passam a reproduzir o comportamento da mãe e também comem suas fezes e as de seus irmãozinhos. Com o tempo , esse comportamento naturalmente desaparece, alguns demoram mais , porem eventualmente vão parar de consumir fezes. 
*Instinto de proteção à matilha: os cães instintivamente ingerem coco de outro doente por causa do instinto de preservação que remonta aos lobos. As fezes de um cão doente têm um odor característico, que deixa clara a fragilidade do animal. Esse cheiro poderia ser sentido por outros animais que não pertencem à matilha, ou seja , coprofagia, nesse caso, visa a proteção da família tendo como objetivo proteger o cão doente, para que ele não fique em contato com as fezes nem seja um alvo claro para os demais cães.
 CAUSA HEREDITARIA: *Instinto de evolução : apresenta aos 6-8 meses. Em tais casos o comportamento é considerado normal, onde buscar nutrientes no lixo ou cocô representou uma adaptação no processo de evolução da espécie, de sua fase em matilha para pet . *Instinto dos cães selvagens: fezes de eqüinos, ruminantes e humanas são comuns parte da dieta de cães selvagens. Na verdade as fezes são dieta bem balanceadas - em sociedades pastorais, onde as fezes são depositadas no chão, os cães estão em boas condições. 
Sua fonte principal de proteínas e vitaminas são as fezes humanas. 
São uma fonte de produtos de digestão microbiológica alem de fornecerem nutrientes aos cães Cães que comem fezes de outras espécies animais podem fazê-lo por que estas podem ser nutritivas, palatáveis e, por causarem poucos problemas, representarem um petisco apreciado por eles . 
RAZÕES METABOLICAS OU DOENÇAS : *Super alimentação: sobrecarregar o sistema digestivo fornecendo alimentação apenas 1 vez conseqüentemente ocorrer uma má digestão. Assim as fezes apresentaria um alto grau de produtos alimentares não digeridos, daí com o passar do tempo , sentindo fome o cão se alimentaria destas fezes já que nessas estariam vários nutrientes que o necessitaria 
*Ocorrência de vermes e conseqüentemente carência nutricional. *Baixos níveis protéicos : cães que apresentam alimentação insuficiente (fome) , Dietas ricas em carboidratos e fibras, ou seja , rações de baixa qualidade pode levar à necessidade de proteinas ocasionando ingestão de cocô para , instintivamente , um equilíbrio nutricional *Deficiência de enzimas digestivas : cães com síndrome de má absorção , pancreatites crônicas ou raças que não produzem as enzimas pancreáticas(shih tzu pug lhasa), desenvolvem a coprofagia por conta da falta dessas enzimas , não haverá a digestão de alguns nutrientes , uma vez que não digeridos , eles estarão presente no cocô, ocasionando a carência desses mesmos nutrientes. 
* Deficiência de tiamina experimentalmente induzida: alimentação vegetariana, alimentação para dieta sem previa equilíbrio nutricional , provoca a falta da vitamina B1 (tiamina) que oferece uma predisposição muito grande à coprofalgia e com a ingestão de bacterias ou virus presente nos cocôs , a fragilidade será maior , oferecendo em conseqüência muito negativa . *administração de medicamentos : a ingestão de antibioticos ou alguns medicamentos , modificam a textura e cheiro das fezes, permitindo uma curiosidade da parte dos mocinhos , os levando à ingestão. 
CAUSAS PSICOLOGICAS *Ansiedade devido a adaptação tornando o filhote estressado e ao sentir o “cheiro” de seu cocô , reconhecendo o cheiro do ambiente antigo , tornando as fezes uma referencia olfativa de zona de conforto , logo ingerindo-a . *Ansiedade de isolamento : mocinhos deixados em casa , quintais, jaulas ou bainhas sem companhia por um longo período de tempo acabam Cães sendo forçados a defecar em seu espaço de dormir acabam por ingerir suas fezes para manter o espaço limpo. *Ociosidade : moços não passeiam , brincam , não recebem muita atenção do dono ou não ganham brinquedos reconhecendo apenas seu próprio cheiro no cocô , começam por brincar com suas fezes daí com o tempo ingerem , reconhecem o sabor de sua ração ... lá vai coprofagia novamente ! *Punições excessivas :Usar de bronca quando eles fazem cocô ou xixi em lugares errados , com relação à xixi , eles seguram à ponto de desenvolver infecções na bexiga ate calculo renal e em relação à cocô eles para “esconder” oque fizeram , ingerem ou seja , eles podem comer fezes para evitar que os proprietários os punam. O mocinho pode iniciar a ingestão de cocô momento perceber que o fez e seu dono reagiu emocionalmente , mesmo que de forma negativa , ele percebeu atenção do dono à fim de repetir . *Fome :a fome, seja por maus tratos ou porque foi forçado a entrar em uma dieta, comerá qualquer coisa que possa encontrar , eles serão “forçados “ a comer as próprias fezes ou de outros amiguinhos A coprofagia passa a ser problemática quando, mesmo crescido, o cão continua comendo fezes ou quando um cão adulto, que nunca demonstrou esse tipo de hábito, passa a ingeri-las, sejam as próprias ou as de outro COMO EVITAR Bom depois de percebermos quais as infinidades de motivos que levam a doença é necessário arregaçar as mangas e mãos a obra : Quando se trata de problemas vindos de doenças nós podemos reconhecer já com aparecimento súbito de coprofagia é motivo para um exame clínico veterinário para investigar se seu cão tem algum problema de saúde. As doenças mais comuns ligadas à coprofagia são as verminoses, pancreatites e problemas na produção de enzimas digestivas. Doenças vinda de problemas de incapacidade de enzimas devido à anatomia biológica de certas raças , há medicações para equilibrar e cessar os comportamentos de coprofagia , por isso, é necessário conversar com o veterinário , para após uma seleção de exames , diagnosticar o problema e logo o tratamento. É preciso saber mesmo que originada por doenças, se por um período muito grande , a coprofagia não apenas “sumirá” após a cura por conta de que manias comportamentais , referencias olfativas irão permitir o seguimento da coprofagia . 
Então não pense que após a cura da doença estará sanado todo nossos problemas. Se o animal não tiver nenhuma doença ou quadro clínico que justifique a ingestão de fezes, avalie sua alimentação. Verifique se a quantidade de alimento é a correta e procure dividir a porção diária de comida em pelo menos duas refeições. Sempre mantenha limpo o local em que seu cãozinho costuma ficar, não deixe a sujeira acumular para que você faça uma faxina. Se você viu fezes ou xixi, limpe. Essa é sua função, não do seu animal. Leve-o para passear frequentemente e deixe que ele faça suas necessidades com calma, quando defecar no local correto, elogie e faça carinho, mostre para ele que isso é o certo e é permitido. Caso seu cãozinho já tenha adquirido esse hábito, você deve desviar a atenção dele assim que ele defecar. Para os cães que tentam comer as próprias fezes durante ou imediatamente após a defecação, você deve estar alerta. Mantenha o seu cão na coleira enquanto ele alivia. É natural que ele fique um pouco obcecado com as fezes, logo, sua atenção irá imediatamente para elas. Seu papel é desviar essa atenção com algo mais interessante: brinque, chame-o, jogue uma bola ou dê um petisco. Limpe as fezes e jogue-as fora. Quando ele retomar a atenção para as fezes, elas já não estarão lá e ele gradualmente vai perder o interesse. Administrar suplementação à base de probioticos é muito importante enquanto a doença , já que a ingestão de bacterias , virus e vermes irá contaminar toda a area intestinal e probiotica , uma suplementação vitaminica e probioticos irá ajudar . Há o medicamento anticoprofalgicos que poderão acelerar o processo de extermínio desse tipo de comportamento, mas nada será valido se nós não munirmos de consciência para entender a real causa de tal doença. Depois de ler toda essa explicação , logo perceberemos que , excluindo o motivo vindo de hereditariedade e doenças a maior causa que se deve à coprofagia é nossos próprios comportamentos e não deles ... na verdade é apenas uma reação da parte deles após nossa ação .O que torna um circulo vicioso : agimos incorretamente , eles passam a ter problemas de stress , traumas , medos , depressões ocasionando coprofagia então eles tornam-se ,isolados devido à repulsa que temos por conta de seu comportamento , alem de passa a serem canal de doenças por conta de sua contaminação vinda de bacterias , vermes e vírus . 
Então esquecemos que o problema inicial somos nós ... aumentando o stress deles e necessidade de continuar com tal doença. Espero que ao terminar essa leitura possamos entender que a expressão de “eca” não vem do comportamento deles e sim a verdadeiramente é uma grande “eca” nossas ações.. consciência é tudo 

Nenhum comentário:

Postar um comentário