sexta-feira, 15 de julho de 2016

CÃES DE RAÇA E O ABANDONO

Sobre raças e o abandono
Atualmente vimos um despencar de ódio sobre quem opta por ter cachorro de raça. Dizem que a solução para o abandono é adotar todos os cães de rua e nunca comprar .
Só que esse não é o caminho para se evitar o abandono
O caminho é nunca comprar de canil de fundo de quintal, castrar seus próprios animais, nunca fazer a tal primeira cruza, nunca querer gerar um filhote pra ficar com ele pelo apego que tinha dos pais (porque não virá UM filhote, e sim uma nova matilha desse cruzamento, que irão regar novos filhotes).
Ao invés de querer fazer dinheiro fácil com seu cãozinho de raça (sem chegar nem perto dos critérios de um criador sério), castrá-lo. Porque só assim não se toma o lugar dos cãezinhos que já estão abandonados precisando de adoção.
Não é se eliminando as raças que se elimina o abandono, é eliminando a entrega de filhotes supostamente de raça por preços irrisórios ou de graça, por pessoas inescrupulosas e egoístas.
A solução do abandono é a castração. Ou, pelo menos, evitar a cruza a todo custo.
A pessoas teimam em usar de desculpas ridículas para justificarem a cruza de seus cães que deveriam ser pets, e depois vem correndo na internet pedir socorro por que a cadela ou os filhotes estão muito mal sem ao menos se dignar a pagar um veterinário, muito menos ter feito um planejamento.
Inúmeras raças estão perdendo as suas características originais devido a cruzas desregradas.
Quem não conhece um pincher ou poodle? Todo mundo conhece... eu gostaria que as pessoas fosse às exposições cinofilas e vissem pessoalmente o que é um pincher (na foto da postagem um pincher de verdade) e o que é um poodle (e só estou exemplificando com duas raças), tão diferentes dos que se vê as centenas por ai.
Isso é culpa dos donos que por sentirem “muito amor” que querem perpetuar seu bichinho que nunca deveria cruzar, e cruzam com algum que conhecem, sem checar linhagem, sem fazer pesquisa, sem nem saber se são realmente da mesma raça, sem nada da preocupação que criadores têm de como realmente gerar filhotes daquela raça específica.
Então, pessoas que vão comprar, ou receber de graça esses filhotes (pessoas que, sim, poderiam estar adotando), vão ter a vontade de fazer o mesmo. E só aí, já temos inumeros cãezinhos gerados, ocupando o lugar de cães que poderiam ter sido adotados. E esse número cresce exponencialmente.
Estou escrevendo isso tudo tendo em vista o recente ocorrido com um canil de Border Collie (raça que não crio, mas amo) tem se multiplicado as postagens do tipo NÃO COMPRE ADOTE, com submensagens como criadores são açougueiros, aproveitadores e etc etc etc.
Eu não sou contra a adoção, muito pelo contrario. Mas também não sou obrigada a ser incluída nesse grupo rechaçado de pseudo criadores por que faço um trabalho complicado e dedicado.
O trabalho das ONGs é lindo, eu mesma sou voluntaria, mas até o ponto que respeite o meu espaço. Como eu já disse outras vezes, quem quer adotar adota, mas quem quer saber exatamente que tipo de cão esta levando para casa, o tamanho, temperamento, pelagem que terá quando adulto, suas predisposições genéticas e etc, tem o direito de comprar!
Pelo respeito, por favor!

Nenhum comentário:

Postar um comentário