terça-feira, 26 de julho de 2016

Desmitificando: veja 8 benefícios da castração

Existem muitos mitos sobre a castração de animais de estimação. Uma das crenças mais comuns é que fêmeas devem ter ao menos uma ninhada antes de serem castradas, para que sejam saudáveis e felizes. Já no caso dos machos, crê-se que a castração torna o animal triste e frustrado, pois não conseguiria mais cruzar. 
Todas as afirmações acima são falsas, tanto para cães quanto para gatos. 
Os cães não precisam cruzar ou ter filhotes antes de ser castrados para sentir-se satisfeitos ou completos. Em outras palavras, sua saúde física e mental não será comprometida se eles não tiverem contato sexual ou filhotes. Esses são valores humanos. A realidade é que os cães agem por instinto e estão mais sujeitos à frustração se não forem castrados. Já imaginou quantas fêmeas entraram no cio, nos últimos anos, em seu prédio ou na sua rua? Esses possíveis “parceiros” são percebidos à distância pelos animais, mas não pelos humanos. Isso significa que o seu cachorro instintivamente vai querer cruzar, às vezes durante dias seguidos, sem nunca conseguir. Isso, sim, pode gerar frustração e representar um estresse constante na vida do seu cão ou gato.
A castração traz ainda uma série de benefícios para os nossos animais de estimação e para a sociedade. Por exemplo, tente se lembrar: existem muitos cães de rua onde você mora? Castrar o seu cachorro é um ato de responsabilidade, pois você está não apenas prevenindo possíveis doenças (veja abaixo), como também contribuindo para reduzir a quantidade de ninhadas indesejadas. Esses filhotes frequentemente acabam abandonados ou em situação de maus-tratos. 

Benefícios para o animal

Além do que destacamos acima, conheça 8 bons motivos para castrar seu cão ou gato:
  • Em fêmeas, o procedimento diminui o risco de câncer de mama. E quanto mais cedo, melhor: 99% das cadelas castradas antes do primeiro cio não desenvolvem a doença. Já em gatas, a castração reduz as chances de câncer de mama entre 40% a 60%.
  • Em machos, a castração reduz a frustração sexual e a necessidade de sair em busca de “namoradas”. Ao mesmo tempo, isso diminui o risco de fugas, atropelamentos e brigas com outros machos.
  • As fêmeas não ficam mais vulneráveis a infecções uterinas graves, como a piometra, uma vez que o seu aparelho reprodutor é removido durante o procedimento.
  • Já em machos, reduz-se em grande escala os problemas de próstata e evita-se o câncer de testículo, que pode ser fatal.
  • As fêmeas não entram mais no cio, poupando os tutores de lidar com o sangramento e com possíveis cães de rua importunando no portão. 
  • Cães e gatos machos sentem menos necessidade de marcar o seu território com urina.
  • Seu animal de estimação também pode ficar mais dócil, facilitando a interação e reduzindo situações problemáticas – especialmente entre os que tinham comportamento agressivo antes. 
  • Uma vez que seu cão está castrado, consulte seu veterinário sobre a quantidade de comida que você deve oferecer. Em geral, os animais castrados consomem menos calorias. Ressaltamos ainda que a castração em si não faz os animais engordarem. O que acontece em alguns casos é a redução de atividade física (o animal fica mais calmo), o que o leva a ganhar peso. Basta ficar de olho e não deixar de exercitá-lo.
Se tiver alguma dúvida sobre a castração, recomendamos que fale com o seu médico veterinário. Ele poderá te aconselhar sobre o melhor período para realizar o procedimento e cuidar das necessidades específicas do seu cão ou gato.
Castrar seu animal é um ato de amor. Que tal reconsiderar?

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Cuidado com a obesidade em animais domésticos!!!

Cuidado com a obesidade em animais domésticos!!!

A obesidade não é mais apenas um problema humano: também ocorre em animais, principalmente, em animais domésticos. Os animais estão ficando cada vez mais gordos e, obesidade é uma doença.

Segundo o jornal “The New York Times”, cerca de 40% dos cães dos EUA, levados às clínicas veterinárias, sofrem de obesidade, numa pesquisa da “Associação para Prevenção da Obesidade em Animais de Estimação”. E, o perigo da obesidade é que ela está ligada a outras doenças (como nos humanos): diabetes, hipertensão arterial, doenças de pele, artrite, problemas cardiovasculares, problemas renais e respiratórios, câncer, lipidose hepática (excesso de gorduras no fígado do gato).

Obesidade, por definição, é um acúmulo excessivo de gordura no corpo.

Os animais podem sofrer de obesidade 1- fisiológica – devido a alimentos impróprios para seu consumo e falta de atividades físicas – 2- ou patológica – que são as disfunções hormonais. A primeira causa da obesidade é a superalimentação (e sedentarismo) que é a alimentação rica em gorduras e carboidratos, doces, restos de comida, etc.. (causa fisiológica) .

Depois há os cães que sofrem de disfunções hormonais e os que têm a obesidade do estresse (solidão ou carência de atenção).

Os tutores são os principais responsáveis pela obesidade dos animais domésticos, pois não conseguem resistir a dar uma guloseima ou comida de consumo humano, segundo pesquisa da “Cruz Azul”, ONG especializada no assunto na Inglaterra. De acordo com pesquisa da instituição “Ambulatórios para Animais Doentes”, 87% dos tutores têm esse hábito, que leva a 2,5 milhões de cães e a mais de 2 milhões de gatos ao sobrepeso no Reino Unido. Os dados são do jornal Daily Mail.

No Brasil, a obesidade estimada entre a população de cães é de 30% e de 25% entre os gatos.

Quando estão instalados, os quilos a mais não são muito fáceis de serem removidos, embora haja casos de cães que emagreceram expressivamente. Veterinários e nutricionistas da “Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade do Tennessee” indicaram tratamento para o cão Mabel, que emagreceu 20 kg. No “resort Morris Animal Inn”, em Nova Jersey, os tratamentos para emagrecimento dos animais incluem exercícios físicos (o sedentarismo estimula o ganho de peso) que podem ser nadar, caminhar em esteira ergométrica caminhar por 2 mil m de área aberta e também controle da alimentação, etc..

Porém, a obesidade pode ser prevenida pelo tutor:

- Consultando o veterinário para avaliar a ração, condições nutricionais e a saúde geral do animal;

- Estimulando exercícios físicos;

- Seguindo as recomendações do veterinário, estabelecer o alimento nas quantidades diárias adequadas.

Há raças de cães que estão predispostas a engordar (por fatores genéticos e gasto energético) – de uma forma geral cães de médio a porte grande.
Não há relatos de predisposição à obesidade entre as raças de gatos.


Fonte: ANDA

Anemia em cães !

Anemia em cães

A anemia é uma redução do número normal de glóbulos vermelhos, que também são chamados de eritrócitos, ou seja, aquela célula que dá cor vermelha ao sangue e leva oxigênio para as células.
Existem três causas principais de anemia para cães domésticos e isso é importante para determinar por que um pet está anêmico antes de iniciar um tratamento adequado.
Essas causas podem ser:
- Devido à perda de sangue (hemorrágica): De forma abrupta comum nos atropelamentos, cortes etc. Pode também ser causada por perda de sangue mais lento, mais crônica, como de hemorragia gastrointestinal devido a úlceras, vermes, câncer ou parasitas externos (carrapatos, infestação de pulgas), entre outras coisas.
- Anemia hemolítica: É causada pela destruição ou pela curta duração de vida dos glóbulos vermelhos. Anemia hemolítica pode ser imunomediada ou não-imune mediada. A anemia hemolítica imunomediada é uma doença em que o corpo do cão, por algum motivo, considera que as suas próprias células vermelhas são externas e inicia processos imunológicos para destruir as hemácias, pode ser secundária à doença do carrapato. No caso não-imunomediada por anemia hemolítica, é causada pela destruição de glóbulos vermelhos por algo que não seja o próprio sistema imunológico do cão, por exemplo, doenças hereditárias, intoxicação química etc.
- Existe também a anemia degenerativa, isto quer dizer, a medula óssea que é responsável pela fabricação de células do sangue pode não estar produzindo porque ela está danificada ou porque o animal está com doença renal e não produz o hormônio que estimula a medula a produzir células.
Não há maneira de prevenir a anemia em cães domésticos a não ser evitar carrapatos, pulgas e vermes. As causas de anemia são bastante variadas e cada caso é considerado diferente. Por exemplo: cães que receberam medicamentos por estarem associados com a anemia hemolítica devem ser monitorizados ao longo de todo o tratamento.
Anemia por perda de sangue pode ser evitada com controle de parasitas e evitar perda aguda de sangue em acidentes ou ferimentos ou tratamento de úlcera gástrica?
Se um cão é capaz de regenerar seu sistema e começar a produzir ou substituir glóbulos vermelhos normalmente (chamada anemia regenerativa), é claro, o prognóstico é melhor. Se a anemia é não-regenerativa, o tratamento e prognóstico será mais variável.
Para diagnóstico de anemia, o animal precisa de uma completa avaliação do veterinário desde exames de sangue, urina, fezes, ultrassom abdominal e o tratamento deverá ser instituído. Para isto, leve à uma clinica veterinária de confiança.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Fêmea de Shih Tzu à venda!




Filhotes de Shih tzu para Venda

Nossos filhotes são vendidos mediante um contrato de compra e venda, incluindo a garantia de saúde contra doenças viróticas por 10 dias e genéticas por 2 anos de idade. São entregues com no mínimo 2 doses de vacinas importadas e não antes dos 70 dias de idade, desverminados, com microchip e pedigree CBKC-FCI. Os pais são vacinados e desverminados antes da cobertura.

Todos do nosso canil é constantemente vistoriados por um veterinário e alimentados com uma ração super premium Royal Canin

Não vendemos cães sem pedigree, canis comerciais é que fazem este tipo de venda e nós trabalhamos para o aprimoramento da raça e não para vender filhotes.

O pagamento pode ser por depósito bancário, em dinheiro na hora da entrega ou parcelado em até 12 vezes no cartão de crédito pelo PAGSEGURO.


Fêmea 1 
Cor Branca e Preta
Nascida em: 28/04/2016
Filha de : Par D'Ellas Mr.Grey  filho do Ch.Fil. Ch.Jov. Ch. Bra. Gr.Ch.Bra ,Ch.Pan. Ch.Int. Gr.Ch.Nac *FB* Par D'Ellas Pharaoh. 
Tendo em sua linhagem *A6* Purple Jade's Stars n Stripes, *DA* Wenrick's Man of Distinction







Maiores informações no WhatsApp(51) 9957-7371


LANCHINHOS SAUDÁVEIS PARA SEUS CÃES

Uma criador responsável deve sempre informar aos amigos, simpatizantes ou até mesmo aqueles que apenas querem ver fotinhos legais e interessantes.
Portanto compartilhe com seus amigos, familiares, colegas enfim!
Estamos sempre atentos em manter nossos clientes e amigos informados!

Medicamentos Proibidos.


Jamais medique o seu animal, não desprestigie o veterinário que estudou 5 anos , se especializou para entender e ajudar a curar nossos animais!

Ame, cuide!

Sugestão de Tabela de Vacinação para Cães

Saúde é algo muito importante
Devemos ficar atentos a época de vacinação de nossos AUmiguinhos

Tosa Higiênica

Olá, pessoal!  queremos falar sobre uma tosa muito importante e que todo cão, principalmente os de pelagem longa, precisa fazer: a famosa tosa higiênica.
Trata-se basicamente de uma tosa para fazer a limpeza do excesso de pelos do cão. No caso do Shih Tzu, consiste em limpar patas, barriga e genitálias. Vamos falar de cada parte:
Patas: 
Nas patas a tosa pode ser feita de duas formas, sendo a primeira a tosa simples e a segunda a tosa poodle. Costumo fazer a tosa comum, em que o tosador (ou até mesmo o dono em casa) apara os pelos entre as almofadinhas das patas e arredonda os pelos em volta das unhas. A cada 15 dias ou mais também é feito o corte das unhas.
Barriga:
Na barriga também existem duas formas de tosar: a tosa comum e a tosa gestante.
Gosto de fazer tosa gestante no verão como uma forma de aliviar um pouco o calor. Nesse caso, é tosada toda a área dos seios do animal, deixando-os a mostra, o que facilita para os filhotes encontrarem as mamas e evita que comam os pelos.
Já a tosa comum é feita de acordo com o sexo do cão. No caso do macho, cortamos um pouco a mais do que na fêmea. Aparamos cerca de dois dedos, sendo utilizada uma máquina de tosa no pet shop (mas em casa podemos cortar com a tesoura mesmo).
Genitais:
Essa parte é um pouquinho mais complicada. Também muda de acordo com o sexo do cão.
-Macho: tiramos o excesso de pelo do pênis, do saco escrotal e do ânus. Como já disse acima, em pet shop é usado uma máquina de tosa, mas todo esse processo pode ser feito em casa. No bumbum pode ser feita a tosa comum (aparando cerca de um ou dois dedos ao redor do ânus) ou uma tosa mais cavada (em que se apara um pouco mais de três dedos da parte de baixo do ânus). Prefiro tirar mais da parte debaixo porque o coco costuma grudar nos pelos.
-Fêmea: tiramos o excesso de pelo da vagina e do ânus, sendo que em fêmea a tosa é cavada pelo fato de elas fazerem xixi agachadas e a vagina ser mais próxima do ânus.

Para cães de pelagem longa, alguns pet shops acrescentam como parte da tosa higiênica a remoção de excesso de pelos do bigode, do rabo, da cabeça e do corpo.
Bigode
É retirado todo excesso de pelo da trufa e próximo ao olho. Eu, particularmente, não gosto que retirem os pelos do bigode. Caso você não queira que cortem, sempre avise ao banhista ou tosador com antecedência.
Rabo
É retirado todo o excesso da ponta da cauda, deixando a cauda arredondada.
Cabeça
É retirado o excesso abaixo da cabeça e nas orelhas, também deixando a região arredondada.
Corpo
É retirado o excesso de pelos da ‘saia’, deixando toda a área entre as patas dianteiras e traseiras igualadas.
Toda essa parte final pode ou não ser considerado tosa higiênica, isso depende do pet shop e do tosador.
Lembrando que tudo o que você quiser a mais ou a menos precisa ser conversado com o seu tosador de confiança.

domingo, 17 de julho de 2016

Fuja de ofertas por cães raros, exóticos e etc....DIGA NÃO AOS OLHOS AZUIS

Fuja de ofertas por cães raros, exóticos e etc....

Olhos do Shih tzu
Os olhos do Shih tzu são sempre escuros com exceção do fígado onde poder ser um pouco mais claro e nos azuis onde os olhos podem ser acinzentados. Nunca um cachorro Shih tzu pode ter os olhos azuis ou verdes. É uma falta muito grave tendendo ao albinismo.

O padrão adotado pelo Brasil estabelece o seguinte: "Olhos grandes, escuros, redondos, inseridos bem separados, mas não proeminentes. Expressão calorosa. Em cães fígado ou com manchas fígado, olhos mais claros são permitidos. " Nos shih tzu não são admitidos olhos azuis ou verdes. Há controvérsias no sentido de ser considerado falta, falta grave ou desqualificante.

 O padrão não menciona. Nunca azuis e verdes. "Blue eyes that persist throughout life can occasionally be found in Shih Tzu

sexta-feira, 15 de julho de 2016

CÃES DE RAÇA E O ABANDONO

Sobre raças e o abandono
Atualmente vimos um despencar de ódio sobre quem opta por ter cachorro de raça. Dizem que a solução para o abandono é adotar todos os cães de rua e nunca comprar .
Só que esse não é o caminho para se evitar o abandono
O caminho é nunca comprar de canil de fundo de quintal, castrar seus próprios animais, nunca fazer a tal primeira cruza, nunca querer gerar um filhote pra ficar com ele pelo apego que tinha dos pais (porque não virá UM filhote, e sim uma nova matilha desse cruzamento, que irão regar novos filhotes).
Ao invés de querer fazer dinheiro fácil com seu cãozinho de raça (sem chegar nem perto dos critérios de um criador sério), castrá-lo. Porque só assim não se toma o lugar dos cãezinhos que já estão abandonados precisando de adoção.
Não é se eliminando as raças que se elimina o abandono, é eliminando a entrega de filhotes supostamente de raça por preços irrisórios ou de graça, por pessoas inescrupulosas e egoístas.
A solução do abandono é a castração. Ou, pelo menos, evitar a cruza a todo custo.
A pessoas teimam em usar de desculpas ridículas para justificarem a cruza de seus cães que deveriam ser pets, e depois vem correndo na internet pedir socorro por que a cadela ou os filhotes estão muito mal sem ao menos se dignar a pagar um veterinário, muito menos ter feito um planejamento.
Inúmeras raças estão perdendo as suas características originais devido a cruzas desregradas.
Quem não conhece um pincher ou poodle? Todo mundo conhece... eu gostaria que as pessoas fosse às exposições cinofilas e vissem pessoalmente o que é um pincher (na foto da postagem um pincher de verdade) e o que é um poodle (e só estou exemplificando com duas raças), tão diferentes dos que se vê as centenas por ai.
Isso é culpa dos donos que por sentirem “muito amor” que querem perpetuar seu bichinho que nunca deveria cruzar, e cruzam com algum que conhecem, sem checar linhagem, sem fazer pesquisa, sem nem saber se são realmente da mesma raça, sem nada da preocupação que criadores têm de como realmente gerar filhotes daquela raça específica.
Então, pessoas que vão comprar, ou receber de graça esses filhotes (pessoas que, sim, poderiam estar adotando), vão ter a vontade de fazer o mesmo. E só aí, já temos inumeros cãezinhos gerados, ocupando o lugar de cães que poderiam ter sido adotados. E esse número cresce exponencialmente.
Estou escrevendo isso tudo tendo em vista o recente ocorrido com um canil de Border Collie (raça que não crio, mas amo) tem se multiplicado as postagens do tipo NÃO COMPRE ADOTE, com submensagens como criadores são açougueiros, aproveitadores e etc etc etc.
Eu não sou contra a adoção, muito pelo contrario. Mas também não sou obrigada a ser incluída nesse grupo rechaçado de pseudo criadores por que faço um trabalho complicado e dedicado.
O trabalho das ONGs é lindo, eu mesma sou voluntaria, mas até o ponto que respeite o meu espaço. Como eu já disse outras vezes, quem quer adotar adota, mas quem quer saber exatamente que tipo de cão esta levando para casa, o tamanho, temperamento, pelagem que terá quando adulto, suas predisposições genéticas e etc, tem o direito de comprar!
Pelo respeito, por favor!

Coprofagia. COMER COCÔ !! COMPREENDER PRIMEIRO PASSO PARA CURA !!

COMER COCÔ !! COMPREENDER PRIMEIRO PASSO PARA CURA !! 

Coprofagia em cães, uma palavra estranha para nomear uma doença de comportamento mais estranho ainda : comer fezes. 
Eca! é a primeira palavra de expressão ao ler essa frase, e com certeza a segunda de muitos leitores será : Meu mocinho faz isso !! Infelizmente essa doença não é tão rara , sendo mais mais comum em certas raças , a grande maioria dos cães apresentam. 
Antes de tudo devemos nos atentar Comer fezes pode não ser repugnante para o cão e pode representar uma fonte de alimento a mais ou ser apetitosa para o cão, ou seja , mesmo que à nossos olhos não seja apreciado , muitas vezes pela necessidade de nutrientes ou por questões de sabor, será necessário para nossos peludos PERIGOS DE INGERIR COCÔ 
Se um cão come as próprias fezes, o risco para ele próprio não é tão grande quanto se ele consumisse as fezes de outro animal. 
No entanto, as bactérias e os parasitos das fezes podem ser transmitidos aos seres humanos e a outros animais, o que representa um grande perigo para sua família. 
Quando um cão come as fezes de outro animal, sejam as de outro cão ou mesmo de um gato, ele corre o risco de ingerir ovos de parasitos intestinais e bactérias que podem levar a doenças graves. 
Diarreia é o sinal mais comum, porém podem ocorrer bronquites, encefalites e muitas outras doenças que podem ser fatais e são causadas por bactérias, vermes e parasitos existentes em fezes. 
Esse comportamento não foi totalmente desvendado pelos especialistas, mas devido à muitos estudos , as teorias apontam que coprofagia está ligada ao instinto de preservação, reprodução do comportamento da mãe, distúrbios psicológicos e até deficiências nutricionais . Encontrar o motivo que leva nossos moços assumir essa postura é o primeiro passo para eliminar o comportamento. 
MOTIVOS QUE LEVAM À COPROFAGIA A coprofagia pode ser desencadeada por uma série de fatores e, em algumas etapas da vida, esse comportamento se torna comum tais como e já esperado :
 CAUSA NATURAL *As mamães costumam ingerir as fezes de seus bebês para mantê-los limpinhos e estimular a musculatura anal ate eles aprenderem a fazer seu cocô sozinhos .
 Alguns filhotes passam a reproduzir o comportamento da mãe e também comem suas fezes e as de seus irmãozinhos. Com o tempo , esse comportamento naturalmente desaparece, alguns demoram mais , porem eventualmente vão parar de consumir fezes. 
*Instinto de proteção à matilha: os cães instintivamente ingerem coco de outro doente por causa do instinto de preservação que remonta aos lobos. As fezes de um cão doente têm um odor característico, que deixa clara a fragilidade do animal. Esse cheiro poderia ser sentido por outros animais que não pertencem à matilha, ou seja , coprofagia, nesse caso, visa a proteção da família tendo como objetivo proteger o cão doente, para que ele não fique em contato com as fezes nem seja um alvo claro para os demais cães.
 CAUSA HEREDITARIA: *Instinto de evolução : apresenta aos 6-8 meses. Em tais casos o comportamento é considerado normal, onde buscar nutrientes no lixo ou cocô representou uma adaptação no processo de evolução da espécie, de sua fase em matilha para pet . *Instinto dos cães selvagens: fezes de eqüinos, ruminantes e humanas são comuns parte da dieta de cães selvagens. Na verdade as fezes são dieta bem balanceadas - em sociedades pastorais, onde as fezes são depositadas no chão, os cães estão em boas condições. 
Sua fonte principal de proteínas e vitaminas são as fezes humanas. 
São uma fonte de produtos de digestão microbiológica alem de fornecerem nutrientes aos cães Cães que comem fezes de outras espécies animais podem fazê-lo por que estas podem ser nutritivas, palatáveis e, por causarem poucos problemas, representarem um petisco apreciado por eles . 
RAZÕES METABOLICAS OU DOENÇAS : *Super alimentação: sobrecarregar o sistema digestivo fornecendo alimentação apenas 1 vez conseqüentemente ocorrer uma má digestão. Assim as fezes apresentaria um alto grau de produtos alimentares não digeridos, daí com o passar do tempo , sentindo fome o cão se alimentaria destas fezes já que nessas estariam vários nutrientes que o necessitaria 
*Ocorrência de vermes e conseqüentemente carência nutricional. *Baixos níveis protéicos : cães que apresentam alimentação insuficiente (fome) , Dietas ricas em carboidratos e fibras, ou seja , rações de baixa qualidade pode levar à necessidade de proteinas ocasionando ingestão de cocô para , instintivamente , um equilíbrio nutricional *Deficiência de enzimas digestivas : cães com síndrome de má absorção , pancreatites crônicas ou raças que não produzem as enzimas pancreáticas(shih tzu pug lhasa), desenvolvem a coprofagia por conta da falta dessas enzimas , não haverá a digestão de alguns nutrientes , uma vez que não digeridos , eles estarão presente no cocô, ocasionando a carência desses mesmos nutrientes. 
* Deficiência de tiamina experimentalmente induzida: alimentação vegetariana, alimentação para dieta sem previa equilíbrio nutricional , provoca a falta da vitamina B1 (tiamina) que oferece uma predisposição muito grande à coprofalgia e com a ingestão de bacterias ou virus presente nos cocôs , a fragilidade será maior , oferecendo em conseqüência muito negativa . *administração de medicamentos : a ingestão de antibioticos ou alguns medicamentos , modificam a textura e cheiro das fezes, permitindo uma curiosidade da parte dos mocinhos , os levando à ingestão. 
CAUSAS PSICOLOGICAS *Ansiedade devido a adaptação tornando o filhote estressado e ao sentir o “cheiro” de seu cocô , reconhecendo o cheiro do ambiente antigo , tornando as fezes uma referencia olfativa de zona de conforto , logo ingerindo-a . *Ansiedade de isolamento : mocinhos deixados em casa , quintais, jaulas ou bainhas sem companhia por um longo período de tempo acabam Cães sendo forçados a defecar em seu espaço de dormir acabam por ingerir suas fezes para manter o espaço limpo. *Ociosidade : moços não passeiam , brincam , não recebem muita atenção do dono ou não ganham brinquedos reconhecendo apenas seu próprio cheiro no cocô , começam por brincar com suas fezes daí com o tempo ingerem , reconhecem o sabor de sua ração ... lá vai coprofagia novamente ! *Punições excessivas :Usar de bronca quando eles fazem cocô ou xixi em lugares errados , com relação à xixi , eles seguram à ponto de desenvolver infecções na bexiga ate calculo renal e em relação à cocô eles para “esconder” oque fizeram , ingerem ou seja , eles podem comer fezes para evitar que os proprietários os punam. O mocinho pode iniciar a ingestão de cocô momento perceber que o fez e seu dono reagiu emocionalmente , mesmo que de forma negativa , ele percebeu atenção do dono à fim de repetir . *Fome :a fome, seja por maus tratos ou porque foi forçado a entrar em uma dieta, comerá qualquer coisa que possa encontrar , eles serão “forçados “ a comer as próprias fezes ou de outros amiguinhos A coprofagia passa a ser problemática quando, mesmo crescido, o cão continua comendo fezes ou quando um cão adulto, que nunca demonstrou esse tipo de hábito, passa a ingeri-las, sejam as próprias ou as de outro COMO EVITAR Bom depois de percebermos quais as infinidades de motivos que levam a doença é necessário arregaçar as mangas e mãos a obra : Quando se trata de problemas vindos de doenças nós podemos reconhecer já com aparecimento súbito de coprofagia é motivo para um exame clínico veterinário para investigar se seu cão tem algum problema de saúde. As doenças mais comuns ligadas à coprofagia são as verminoses, pancreatites e problemas na produção de enzimas digestivas. Doenças vinda de problemas de incapacidade de enzimas devido à anatomia biológica de certas raças , há medicações para equilibrar e cessar os comportamentos de coprofagia , por isso, é necessário conversar com o veterinário , para após uma seleção de exames , diagnosticar o problema e logo o tratamento. É preciso saber mesmo que originada por doenças, se por um período muito grande , a coprofagia não apenas “sumirá” após a cura por conta de que manias comportamentais , referencias olfativas irão permitir o seguimento da coprofagia . 
Então não pense que após a cura da doença estará sanado todo nossos problemas. Se o animal não tiver nenhuma doença ou quadro clínico que justifique a ingestão de fezes, avalie sua alimentação. Verifique se a quantidade de alimento é a correta e procure dividir a porção diária de comida em pelo menos duas refeições. Sempre mantenha limpo o local em que seu cãozinho costuma ficar, não deixe a sujeira acumular para que você faça uma faxina. Se você viu fezes ou xixi, limpe. Essa é sua função, não do seu animal. Leve-o para passear frequentemente e deixe que ele faça suas necessidades com calma, quando defecar no local correto, elogie e faça carinho, mostre para ele que isso é o certo e é permitido. Caso seu cãozinho já tenha adquirido esse hábito, você deve desviar a atenção dele assim que ele defecar. Para os cães que tentam comer as próprias fezes durante ou imediatamente após a defecação, você deve estar alerta. Mantenha o seu cão na coleira enquanto ele alivia. É natural que ele fique um pouco obcecado com as fezes, logo, sua atenção irá imediatamente para elas. Seu papel é desviar essa atenção com algo mais interessante: brinque, chame-o, jogue uma bola ou dê um petisco. Limpe as fezes e jogue-as fora. Quando ele retomar a atenção para as fezes, elas já não estarão lá e ele gradualmente vai perder o interesse. Administrar suplementação à base de probioticos é muito importante enquanto a doença , já que a ingestão de bacterias , virus e vermes irá contaminar toda a area intestinal e probiotica , uma suplementação vitaminica e probioticos irá ajudar . Há o medicamento anticoprofalgicos que poderão acelerar o processo de extermínio desse tipo de comportamento, mas nada será valido se nós não munirmos de consciência para entender a real causa de tal doença. Depois de ler toda essa explicação , logo perceberemos que , excluindo o motivo vindo de hereditariedade e doenças a maior causa que se deve à coprofagia é nossos próprios comportamentos e não deles ... na verdade é apenas uma reação da parte deles após nossa ação .O que torna um circulo vicioso : agimos incorretamente , eles passam a ter problemas de stress , traumas , medos , depressões ocasionando coprofagia então eles tornam-se ,isolados devido à repulsa que temos por conta de seu comportamento , alem de passa a serem canal de doenças por conta de sua contaminação vinda de bacterias , vermes e vírus . 
Então esquecemos que o problema inicial somos nós ... aumentando o stress deles e necessidade de continuar com tal doença. Espero que ao terminar essa leitura possamos entender que a expressão de “eca” não vem do comportamento deles e sim a verdadeiramente é uma grande “eca” nossas ações.. consciência é tudo 

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Como saber se realmente comprei um shih tzu, ou um SRD???

Ano após ano, aumenta o número de pessoas que escolhem o Shih Tzu como cão de estimação. Popularizando-se no Brasil desde o início dos anos 90, tornou se o queridinho dos brasileiros. Foi no final daquela década e no decorrer da atual que a raça passou a alavancar admiradores de forma mais significativa. Em 2002, tornou-se o 10º cão do País em quantidade de filhotes nascidos e registrados. Em 2003, saltou para a 6º posição. Em 2004, para a 3º. Em 2005, última data com dados disponíveis, já ocupava a 2º, permanecendo abaixo apenas do Yorkshire. Contabilizou 7.844 exemplares, acumulando 8% dos cães de raça que nasceram e receberam pedigree naquele ano.    

Você já sabe que o que tamanho representa: mais acasalamentos mal planejados sendo promovidos e, consequentemente, mais exemplares atípicos no mercado. A verdade é que nunca foi tão difícil adquirir um Shih Tzu de qualidade no Brasil. “O nível da criação vem caindo muito nos últimos anos”, afirma o criador Eduardo Teixeira, do Rio de Janeiro. 

Por isso, se você está em busca de um cão típico, que se enquadre no padrão da raça de forma satisfatória, acompanhe o Certo x Errado do Shih tzu em idade de compra e aprenda a identificar suas características corretas e seus desvios mais comuns. E lembre-se: dê preferência a criadores de destaque que se mostrem comprometidos com o aprimoramento racial.Como saber se meu shih tzu é puro?

CERTO X ERRADO
 

CERTO
Aparência Retangular   
        

O Shih Tzu é pequeno, mas robusto. Tem ossatura e musculatura bem desenvolvidas. Seu formato corporal é ligeiramente retangular. O padrão da Federação Cinológica Internacional (FCI) apenas menciona que a medida da cernelha até a raiz da cauda supera a altura da cernelha, mas não especifica o quanto. A criação, porém, considera ideal que seja em torno de 10%.

     ERRADO

Formato Quadrado

 
O comprimento do tronco apresenta praticamente a mesma medida da altura na cernelha. O cão parece pernalta. Também é desvio o cão excessivamente retangular, cujo comprimento do tronco supera a altura em 20% ou mais. Nesse caso, o exemplar parece ter pernas curtas demais.

Qual a causa: herança genética.
Como prevenir: com a boa escolha do filhote e de seus país.
Como tratar: não há tratamento.

CABEÇA (Certo)

 
  

 CABEÇA LEVE (Errado)

A cabeça é menor e mais estreita que o ideal.

Cabeça Plana ( Errado)

O topo da cabeça e a testa, em vez de abobadados, são planos. É a chamada cabeça “flat”.

Focinho Comprido (Errado)

O focinho é comprido demais. Também são desvios focinho exageradamente curto (pode gerar problemas respiratórios e de mordedura), linha superior do focinho arqueada ou muito virada para cima e stop pouco marcado.

Qual a causa: herança genética.
Como prevenir: com a boa escolha do filhote e de seus pais.
Como tratar: não há tratamento.

LINHA SUPERIOR (Certo)

Linha Superior Paralela ao Solo

 
A linha superior do Shih Tzu é reta e paralela ao solo. Cauda e pelagem geralmente escondem a região, o que dificulta a análise visual. O ideal é avaliar o cão pelo toque. 

Linha Superior Carpeada ( Errada)


Cabeça Larga e Redonda

A cabeça do Shih Tzu é larga e redonda. O topo do crânio é abobadado assim como a testa quando vista de perfil. O stop (ângulo de encontro entre focinho e testa) é marcado. O focinho é largo, quadrado, curto (para o adulto estabelece-se a medida de aproximada, do nariz ao stop, de 2,5 cm) e com linha superior reta ou ligeiramente inclinada na ponta. Ou seja, levemente virada para cima.

A linha superior tem um arco para cima. O desvio é chamado de linha superior arqueada ou carpeada. Também é desvio a linha superior selada. Isso é, com um arco para baixo.

Qual a causa: no filhote de até 4 meses, geralmente herança genética, embora alimentação inadequada e falta de exercício também possam desencadear o desvio.

Como prevenir: com a boa escolha do filhote e de seus pais (fêmeas matrizes, não raro, apresentam linha superior selada não de origem genética, mas sim, devido às gestações), com alimentação balanceada de boa qualidade e com exercício leve regular.

Como tratar: pode-se amenizar o desvio com dieta e exercícios específicos. Para isso, busque auxílio veterinário.

Linha Superior Ascendente ( Errado)


A linha superior ascendente da cernelha em direção à garupa. Também é desvio a linha superior descendente. Ou seja, inclinada para baixo da cernelha em direção à garupa.

Qual a causa: herança genética.
Como prevenir: com a boa escolha do filhote e de seus pais.
Como tratar: não há tratamento.

MORDEDURA

Mordedura Prognata ou em Torquês ( Certo )

A mordedura do Shih Tzu pode ser em torquês (incisivos superiores e inferiores se fecham alinhados em pinça) ou, como na foto, prognata inferior (incisivos inferiores se fecham à frente dos superiores). Embora o padrão FCI não estabeleça o grau desse prognatismo, a criação considera ideal quando os incisivos inferiores ultrapassam os superiores em no máximo cinco milímetros. Vale lembrar que a mordedura pode se modificar com a troca dos dentes, que tem início entre o 3º e 4º mês de vida do cão.

Mordedura Excessivamente Prognata (Errado)


Os incisivos superiores se fecham muito á frente dos superiores. Em decorrência disso, o cão, mesmo com a boca fechada, mantém expostos os dentes e as vezes até a língua.

Qual a causa: herança genética

Como prevenir: com a boa escolha do filhote e de seus pais

Como tratar: em certos casos, aparelhos ortodônticos podem amenizar ou mesmo eliminar o desvio. Para exemplares de exposição ou usados na procriação, o recurso é considerado antiético.

NARIZ

Nariz escuro ( Certo)


O nariz (trufa) é preto ou, nos Shih Tzus de pelagem cor de fígado ou manchada de fígado, marrom. Alguns filhotes já nascem com o nariz pigmentado. Em outros, a pigmentação se completa nas primeiras semanas ou no máximo até os 3 ou 4 meses de vida. De qualquer forma, aos 60 dias de idade, a pigmentação já deve ocupar pelo menos 80% do nariz.

Nariz Pigmentado (Errado)


Considerando-se filhotes de 60 dias em diante, o nariz apresenta áreas de despigmentação (rosadas) superiores a 20%.

Qual a causa: herança genética, embora a falta de exposição ao sol possa ter influência.

Como prevenir: com a boa escolha do filhote e de seus pais e com banho de sol leve e regular.

Como tratar: em certos casos, exposição regular ao sol pode amenizar ou até mesmo eliminar o desvio.

OLHOS

Olhos Grandes e Redondos (Certos)


Os olhos são grandes, redondos, inseridos frontalmente e bem separados um do outro. Não devem ser excessivamente proeminentes e, vendo-se o cão de frente, o branco dos olhos (esclerótica) não pode ser visível. Os olhos são escuros, mas, em exemplares de pelagem fígado ou manchada de fígado, podem ser mais claros. Isso é, acompanhando o tom da pelagem.

Olhos Amendoados ( Errado)


Os olhos são amendoados e inseridos obliquamente (de forma mais lateral em vez de frontal).

Olhos muito Proeminentes ( Errado)


Os olhos são excessivamente saltados. Geralmente, essa característica está associada a outro desvio: a esclerótica visível quando o cão nos olha de frente.

Qual a causa: herança genética
Como prevenir: com a boa escolha do filhote de seus pais.
Como tratar: não há tratamento.

ORELHAS

Com Inserção Relativamente Baixa ( Certo)


As orelhas são grandes, pendentes e inseridas ligeiramente abaixo da linha superior do crânio.

Orelhas Com Inserção Alta (Errado)   

As orelhas são inseridas no topo do crânio. O desvio é chamado de “orelhas de coelho”.
 
Qual a causa: herança genética.
Como prevenir: com a boa escolha do filhote e de seus pais.
Como tratar: não há tratamento.

PERNAS POSTERIORES

Pernas Posteriores Paralelas (Certo)


As pernas posteriores são curtas, retas, paralelas entre si, musculosas e com boa ossatura. Embora o padrão não especifique, deve ser moderadamente anguladas. Isto é, vendo-as de perfil, a articulação do joelho e a do calcanhar deve ser nítida, mas não muito acentuadas.

Jarretes de Vaca (Errado)

    
Os jarretes (calcanhares) convergem, e os pés se voltam para os lados.

Qual a causa: em filhotes de até 4 meses, geralmente herança genética, embora alimentação deficiente, piso escorregadio, excesso de pêlo entre os dedos, unhas compridas e/ou falta de exercício possam desencadear o desvio.

Como prevenir: com a boa escolha do filhote e de seus pais, com alimentação balanceada de boa qualidade, com exercícios leves regulares, com manutenção do cão em piso escorregadio e com unhas e pelagem entre os dedos aparadas.

Como tratar: pode-se amenizar o desvio mantendo o cão em piso não escorregadio aparando suas unhas e a pelagem entre os dedos e oferecendo dieta e exercícios específicos. Para isso, busque auxílio veterinário.

Posteriores Fracos (Errado)


   
As pernas posteriores são menos musculosas que o ideal e, por isso, também ficam próximas demais uma da outra.

Qual a causa: em filhotes de até 4 meses, geralmente herança genética, embora alimentação deficiente e falta de exercício possam desencadear o desvio.

Como prevenir: com a boa escolha do filhote e de seus pais, com alimentação balanceada de boa qualidade e com exercícios leves regulares.

Como tratar: pode-se amenizar o desvio oferecendo dieta exercícios específicos. Para isso, busque auxílio veterinário.

ANTEPEITO

Antepeito bem Desenvolvido (Certo)


O antepeito é amplo o bastante para manter as perna dianteiras devidamente afastadas.

Antepeito Estreito (Errado)


O antepeito é pouco desenvolvido, tornando as pernas dianteiras próximas demais uma da outra.

Qual a causa: no filhote de 4 meses, geralmente herança genética, embora alimentação deficiente e falta de exercício também possam desencadear o desvio.

Como prevenir: com a boa escolha do filhote e de seus pais, com alimentação balanceada de boa qualidade e com exercício leve regular.

Como tratar: pode-se amenizar o desvio com dieta e exercícios. Para isso, busque auxílio veterinário.

PÉS

Pés Redondos (Certo)


Os pés dianteiros e traseiros são redondos e têm dedos arqueados e rentes uns aos outros.

Pés Espalmados (Errado)


Os pés apresentam dedos espaçados e não arqueados. Na foto, exemplar tosado para mostrar adequadamente o desvio.
Qual a causa: em filhotes de até quatro meses, geralmente herança genética, embora alimentação deficiente, piso escorregadio, unhas compridas, pelagem entre os dedos não aparada e/ou falta de exercício possam desencadear o desvio.
Como prevenir: com a boa escolha do filhote e de seus pais, com alimentação balanceada de boa qualidade, com exercício leve regular, com manutenção do cão em piso não escorregadio e com unhas e pelagem entre os dedos e proporcionando dieta e exercícios específicos. Para isso, busque auxílio veterinário.

CAUDA

Cauda em Alça (Certo)


A cauda é inserida alta e portada em forma de alça de xícara. Ou seja, faz um arco em direção às costas e sua ponta encosta nelas. A altura da cauda é aproximadamente a mesma do topo do crânio.

Cauda Ereta (Errado)


A cauda é portada verticalmente, sem que a ponta encoste nas costas. É a chamada “cauda em bandeira”.

Cauda Deitada (Errado)   

A cauda é totalmente deitada sobre as costas.

Qual a causa: herança genética.
Como prevenir: com a boa escolha do filhote e de seus pais.
Como tratar: não há tratamento.

Nota da redação: 
1) Para efeitos ilustrativos, alguns dos itens apontados como errados foram simulados nos cães fotografados durante a produção ou por manipulação de imagem. 
2) Em alguns itens, na falta de filhotes de até 4 meses de idade que os retratassem adequadamente, optamos por utilizar exemplares mais velhos a fim de não suprimir a informação. 
3) Para melhor ilustrar certos itens, alguns cães foram toados ou penteados de forma a realçar os contornos corporais. 

4) Não é possível garantir que as características físicas do filhote não sejam modificadas no decorrer do seu desenvolvimento, seja para melhor ou para pior.