sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Yorkshire Terrier

ORELHAS CAÍDAS , YORKSHIRE LEGITIMO OU NÃO ??????
Primeiramente devemos nos atentar q a raça yorkshire terrier , tem em sua anatomia correta a inserção de orelhas eretas, ou seja , em pé e em “V”. Isso se deve àquele estudo q Peter Eden fez para desenvolver essa raça , e após muitas observações , percebeu q toda a raça yorkshire tem essa estrutura de orelhinhas , e após isso , FCI (federação de cinofilia Brasileira ) formalizou como uma das características do padrão da raça .
PQ OS YORKS TEM ORELHAS EM PÉ
Para compreender melhor, é necessário saber pq as orelhinhas deles tem essa caracteristica , entao vamos lá ...
As orelhas são constituída de cartilagem elástica , ou seja , um tecido cartilaginoso , oferecendo um aspecto de movimento , esse tecido contem teor fibroso e envolvido por uma camada com um nome complicado : o pericondrio , uma camada que envolve a orelha , especie de colageno q facilita absorção de calcio , potássioe a irrigação sanguinea (não vasos sanguineos ), por isso as orelhinhas costumam não sangrar exageradamete e fácil cicatrização . Toda essa historia chata p se entender q qto mais cálcio o pericôndrio absorve , mais fibrosa fica a cartilagem da orelha deles .... qto mais fibrosa... mais ereta .... e no caso dos yorks , a absorção de cálcio e potássio é maior, por conta disso que em sua anatomia eles tem a orelhinha em pé .
Qdo eles estão dentro da barriga , assim como qualquer mamífero , seus ossos ainda são cartilaginosos , justamente para conseguirem ficar tão “apertadinho lá dentro, ou seja, eles não tem ossos enrigecidos .... e as fibras das orelhas ainda estao atrofiadinhas , .. após o nascimento , os ossos enrigecem e as orelhas deixam de ser atrofiadas (se expande) , porem ainda flacidas , até torna-se mais fibrosa (enrigecida), isso é um processo natural . Lembrando que os yorks tem maior absorção calcica pelo pericondrio , então eles produzem naturalmente maior quantidade de cálcio .
Porem como o organismo deles ainda está “aprendendo “ a desenvolver , a produção de cálcio é baixa , mas isso se deve por conta deles necessitarem de calcio apenas para enrigecer os ossos e assim , o aleitamento da mãe , alem de enviar a imunidade para eles , envia uma boa carga de cálcio , para assim, o organismo iniciar a mesma produção daquele cálcio que ele está recebendo
QUANDO COLOCAR E RETIRAR A TALA NAS ORELHINHAS
O momento em que seus dentinhos começam a nascer (despontarem) , então o próprio organismo aumenta a quantidade de cálcio para enviar lá na arcada dentaria e assim os dentinhos crescerem saudavelmente . Nesse momento, todo o cálcio em maior quantidade é absorvido pelo pericôndrio e as orelhas ficam mais fibrosa ... então para dar “uma forcinha “ p esse processo ocorrer mais rapidamente , é colocado as talas nas orelhas , por 3 a 5 dias , assim o organismo pode oferecer maior quantidade de cálcio p dentes e a orelhinha não necessita de tanta absorção calcica p levantar (já que as talas as deixa melhor posicionada) .
Assim que a tala for retirada , alguns dias após , as orelhinhas , que aparentavam esta de pé , começarem a cair , isso se deve pq como a absorção do pericôndrio era menor , já q as orelhinhas estavam posicionadas devido à processo não natural (as talas) . Porem naturalmente o organismo aos poucos irá produzir cálcio sulficiente para as orelhinhas voltarem à sua posição ideal, já q os dentinhos já estão com a produção de calcio equilibrada .
AS TALAS SÃO RESPONSAVEIS POR ORELHAS EM PÉ ???
Por outro lado , não se deve acreditar que as talas são as responsáveis para oferecer às orelhas sua característica fibrosa, ou seja : ereta ! ... um york q não teve o procedimento de usar a tala em sua fase filhote , não terá orelhas caídas e sim terá o processo de produção cálcica mais lenta , já q terá de enviar cálcio p ossos em desenvolvimento , dentes em crescimento , então obviamente até equilibrar essa produção demorará mais ... porem , se faz parte de sua anatomia , uma produção de cálcio mais , obviamente ele terá seu momento de produzir p pericôndrio absorver e enrigecer a orelhinhas... para confirmar essa informação , é apenas observar cães q moram na rua : alguns apresentam orelhas em pé... e muito pouco provavel , alguém foi lá e colocou tala nele.. ..mas como em sua estrutura a produção de cálcio é maior .. logo o pericondrio absorve maior carga , os deixando com orelhas em pé .
MOTIVOS QUE LEVEM AS ORELHAS CAIREM
1-Hj em dia , podemos encontrar yorkshire legítimos com suas orelhas caidinhas , isso se deve por conta de que em sua estrutura anatômica , a produção de calcio é menor . A explicação disso é genética : se lembrarmos , os yorks são cães originados de 4 raças e uma delas é o Black and Tan , se observarmos, é graças à ele que a coloração preta e dourada é presente na raça York , e se ate hj sua genética envia essa informação p nossos mocinhos , entao as orelhas caidas q fazia parte da característica desse cão é enviada para os yorks como genetica recessiva , ou seja , gens de orelhinhas caidas escondidinha nos gens de nossos moços .
Da mesma forma q Peter Eden estudou todo mapeamento genético anulando alguns gens , cruzando corretamente à resultar a raça York , com todas as caracteristicas q ela apresenta e mencionado pelo FCI ,os exemplares de York com orelhas caidas é exemplo nítido de cruzamentos sem nenhum estudo genetico , ou seja, cruzamentos errado resultando em quebra genética : aquela informação genetica escondidinha de orelhas caidas que cada um tem (alguns c maiores quantidade e outros com menores), cruzando dois yorks legítimos com maior quantidade recessiva de Black and tan , resultará em seus bebes maiores informações desse cão e menores do York , ou melhor , yorks com orelhas caidinhas ... Então é orientado ao criador , se seus bebes apresentam suas orelhas caidinhas , mude os casais ou faça estudo genético de seus exemplares .

2- Como não é um processo natural , deixar as talas mais q 5 dias , deixará a orelhinha “mal acostumada” , ou seja , sem muita necessidade de absorção cálcica , assim , menos fibrosa e por fim será um processo vicioso : coloca tala , muito tempo depois retira as talas, orelhas caem , então coloca-se novamente e por ai vai ... até o criador se cansar e optar em não mais deixar a tala ... então o Yorkinho , como o organismo tbm se acostumou a produzir apenas um quantidade de cálcio , ele não será tão absorvido pelo pericôndrio e assim as orelhas ficarão caidas . Alem de mais de tres dias a orelhinha ficar c tala , deixa o ouvidinho exposto à acaros q se alojam lá dentro e desenvolve a sarna otodecica . lembre-se : eles foram gerados em 60 dias , ou seja, o desenvovimento deles é rápido , então 3 dias na vida de um bebe q foi gerado em 60 dias , é um período significativo .
3-Ao que levarmos nosso bebe York , com orelhas em pé para casa , em poucos dias eles começam a apresentar as orelhas caidinhas, isso é por conta da fase de adaptação , trazendo uma baixa imunidade e assim diminuindo a produção de cálcio... por conta disso , sempre é viável nos primeiros dias em seu novo lar , alem de muito amor e carinho , haver um cuidado à mais para que essa adaptação não seja tão drástica , o criador pode oferecer brinquedos e ou acessório com cheiros q remetem àquele lugar onde ele nasceu e cresceu ate então , para que os seus primeiros dias em seu novo lar , eles não estranhem tanto .Levando em consideração que o cão apresenta quase 5000 celulas olfativas , ou seja , seu instinto olfativo pode trazer uma sensação de prazer e zona de conforto . Mas se mesmo assim apresentar suas orelhas caidas, pode-se ser administrado vitamina C (p aumentar imunidade ) e cálcio (p aumentar a absorção cálcica enquanto o organismo não produz ) . Isso tbm ocorre em fases de vacinação ou hormonização , mas o processo de cuidados é o mesmo e logo após as orelhas voltam à sua posição normal .
.
Após toda essa explicação , temos de nos atentar à uma informação muito importante : filhotes de pais de Yorks legítimos , apresentando orelhas caídas , são fora do padrão da raça.Porem , mesmo q vindos de quebra genética , excesso de tala ou baixa imunidade , continuam sendo legítimos , continuam sendo Yorks , ou seja , continuam apresentando suas outras características e temperamentos q a raça oferece .
E qdo mencionamos comportamento da raça york , ahhh não há orelhas ou caracteristica da raça q supere o encantamento q eles nos oferece... por isso curta, respeite e antes de td amem demais esses mocinhos , pq oq receberemos em troca não será orelhas em pé e sim um tremendo amor incondicional .

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

14 Alimentos Que Você Não Deve Dar Para O Seu Cachorro (O 10º É Uma Surpresa!)


Fala a verdade, se você tem um cão em casa vai concordar que o amor é incondicional não é mesmo?

Tanto que o tratamos como um membro da família e o enchemos de carinhos e mimos…
Porém, muitas vezes essa boa intenção pode ser prejudicial para a saúde do seu amigo. Quando pensamos em alimentação para cães, o cuidado deve ser redobrado!
alimentos que você não deve dar para o seu cachorro
Isso porque a estrutura biológica canina é diferente da dos humanos, o que torna alguns alimentos perigosos para eles.
Veja a seguir uma lista contendo 14 alimentos que você não deve dar para o seu cachorro, mesmo que ele faça aquela carinha de pedinte.

14 Alimentos que você não deve dar para o seu cachorro de jeito nenhum

1 – Chocolate

alimentos que você não deve dar para o seu cachorro w
Essa deliciosa guloseima é uma tentação para as pessoas, mas nem pense em oferecer ao seu cão. Entre os seus problemas, está o fato do chocolate conter teobromina, que é estimulante e funciona de forma semelhante à cafeína, e que é venenosa para os cães.
Embora a quantidade dessa substância varie de acordo com o tipo de chocolate, sendo que quanto mais escuro mais ele possui a teobromina, mesmo doses pequenas podem afetar o coração, sistema nervoso central e rins do seu pet.
Caso ele tenha ingerido, saiba que o envenenamento ocorre entre quatro e 24 horas após o consumo. O grau de envenenamento depende da quantidade de chocolate que o pet comeu, sendo que ele pode ter vômitos, diarreia, agitação, tremores, hiperatividade e até mesmo crises convulsivas.
O melhor é levar o cão ao veterinário, sendo que a primeira medida é fazê-lo vomitar. O tratamento vai depender dos sintomas que ele apresentar, podendo precisar de fluidos intravenosos (gota a gota) e/ou medicamentos para controlar a frequência cardíaca, pressão arterial e as convulsões.

2 – Café, chá, bebidas estimulantes e outros produtos com cafeína

alimentos que você não deve dar para o seu cachorro
Da mesma forma que o chocolate, essas bebidas contém uma substância estimulante, a cafeína. Vale dizer que os cães são mais sensíveis aos efeitos da cafeína do que as pessoas.
Embora um pouco de café ou chá não vá causar danos sérios no cachorro, é melhor evitar que ele se aproxime desse tipo de bebida. Se ingerir borra de café ou sacos de chá pode sofrer com problemas mais graves. Os sinais de envenenamento por cafeína são semelhantes ao que acontece com o consumo de chocolate. O tratamento também é semelhante.

3 –Cebola, alho, cebolinha

alimentos que você não deve dar para o seu cachorro
Esses vegetais podem causar no pet irritação gastrointestinal (estômago e intestino), levando a danos nas células vermelhas do sangue. Embora os gatos sejam mais suscetíveis a esses alimentos, os cães também estão em risco se forem ingeridos sem grandes quantias.
As cebolas são particularmente tóxicas e os sinais de envenenamento podem aparecer apenas alguns dias depois do consumo. Além disso, todos os tipos de cebola são prejudiciais, mesmo que esteja desidratada, crua ou cozida. Por isso, na hora de comer pizzas, não deixe o pet prová-la.

4 – Álcool

alimentos que você não deve dar para o seu cachorro
Qualquer bebida contendo álcool é significativamente mais tóxica para os cães do que para as pessoas. Caso o cão as ingira pode causar vômitos, diarreia, diminuição da coordenação, depressão do sistema nervoso central, dificuldade respiratória, tremores, acidez anormal do sangue, coma e até mesmo a morte.

5 – Abacate

alimentos que você não deve dar para o seu cachorro
O principal problema dessa fruta para o cão é que ela possui uma substância chamada persin, que também está nas folhas e nas sementes do abacate, inclusive, na casca. Se o pet ingerir, pode provocar diarreia e vômitos.

6 – Uvas e passas

Esses alimentos não devem ser dados ao pet porque podem causar insuficiência renal. Os cães que já têm determinados problemas de saúde podem ter uma reação ainda mais grave.

7 – Caqui, pêssego e ameixas

As sementes dessas frutas podem causar inflamação ou obstrução do intestino delgado.

8 – Macadâmia

alimentos que você não deve dar para o seu cachorro
Depois de 12 horas que o cão come a macadâmia pode mostrar sinais de fraqueza, depressão, tremores, vômitos e hipertermia (aumento da temperatura corporal). Esses sintomas tendem a durar até 48 horas, sendo importante levá-lo ao veterinário.

9 – Massas

Quando são usadas leveduras como fermento no preparo de massas, esse alimento não é indicado para cães. Massas contendo levedura podem causar gases que se acumulam no sistema digestivo. Além disso ser doloroso, os gases podem fazer com que o estômago ou intestinos sejam obstruídos e mesmo distendidos.

10 – Ossos

alimentos que você não deve dar para o seu cachorro
Embora seja muito comum dar aos cães os ossos, é importante dizer que os animais domésticos podem se engasgar com eles, além de sofrer prejuízos com estilhaços que podem se alojar no trato digestivo. Caso você dê a ele um osso, é melhor estar por perto para observar se ele não se engasga.
Também é mais indicado oferecer ao seu pet ossos crus, pois depois de cozidos lascam mais facilmente, além de preferir os ossos menores. De qualquer forma, não faça disso um hábito, pois muitos ossos podem causar prisão de ventre.

11 – Espiga de milho

Diferente da maioria dos produtos hortícolas, esse não digere bem no estômago de um cão. Caso ele engula um pedaço grande, pode provocar obstrução intestinal, sendo que os sintomas são vômitos, perda de apetite, falta de fezes ou mesmo diarreia. Nesse caso, leve-o ao veterinário imediatamente.

12 – Açúcar

alimentos que você não deve dar para o seu cachorro
Alimentos com açúcar não devem ser dados ao cão, mais um motivo para afastar chocolates do seu melhor amigo. Além de causar obesidade, pode provocar problemas dentais e possivelmente diabetes.
Da mesma forma, oxilitol – uma espécie de adoçante – deve ser evitado, embora se trate de um adoçante natural usado atualmente em muitos produtos, como chicletes e alimentos diabéticos. Os sintomas de intoxicação incluem letargia, vômitos e perda de coordenação, podendo evoluir para decúbito e convulsões.

13 – Leite

alimentos que você não deve dar para o seu cachorro
Como os cães não têm quantidades significativas da lactase, enzima que quebra a lactose no leite, a bebida não é digerida pelo organismo do pet. Por isso, ele terá diarreia ou outros problemas digestivos. O mesmo serve para certos iogurtes e outros alimentos com leite. Iogurte o recomendado é somente o 100% natural (que não é fácil de achar por sinal). Os outros, caso ele beba, leve-o ao veterinário.

14 – Ovos, carnes e peixes crus

alimentos que você não deve dar para o seu cachorro 3
Alimentos crus são perigosos e podem provocar intoxicação alimentar devido a bactérias como a Salmonella e E. coli. Uma enzima existente em ovos crus também interfere na absorção das vitaminas do complexo B, podendo resultar em problemas de pele e pelagem.
Tudo o que você precisa fazer é cortar esses grupos de alimentos da dieta do seu cão para que ele se desenvolva com muita saúde. Acompanhe aqui também nossas dicas de como fazer uma alimentação adequada e balanceada para ele!

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Vermífugo em dia! Alívio e garantia de saúde!

Vermífugo em dia (e alívio para mamães e papais preocupados)

Existem diferentes tipos de vermes que um cão pode ter e que, embora saiam nas fezes, nós, donos, não conseguimos detectá-los. À exceção da tênia, os demais são de difícil percepção – eu não conseguiria detectar nem a tênia por simplesmente não saber do que se trata. Logo o melhor a fazer é manter a vermifugação em dia.
Há um conflito nas informações quanto ao período e forma de se vermifugar o animal. Certo é que de acordo com o remédio a ser administrado, a frequência e método mudam.mbs-euamocaes.blogspot.com.br2011_06_01_archive
Quando filhotes, o melhor a fazer é vermifugar o animalzinho assim que pegá-lo e repetir a dose dali a duas semanas, depois mais duas semanas e então adotar o método mensal ou trimestral. É muito comum filhotes infectados porque existem vermes que se mantem como ovos adormecidos em cães adultos e não são removidos com medicação. Assim, quando a fêmea fica grávida, estes ovos são ativados e infectam os filhotes.
Minha experiência com as peludas foi essa: dei vermífugo em gotas quando chegaram e depois adotei o vermífugo em comprimidos a cada três meses. Isso tudo sob supervisão da médica veterinária que avaliou minha região e quantidade de passeios.
Agora, caso o cão esteja com vermes, os médicos veterinários indicam que primeiro deve ser tratado para posteriormente receber medicação para prevenção. Daí surge a dúvida: como saber se o cãozinho está com algum verme? Quais os sintomas? Na dúvida, eu faço exames de sangue e fezes com frequência, já que eles não falam e não reclamam de nenhuma dor. Mas existem sintomas que podem ser percebidos:
  • Vermes ou ovos visíveis nas fezes – Embora eu ache mega difícil de ser detectado, esta pode ser uma maneira comum de indicar se seu cão está com verme, porém existem vermes que não são visíveis.
  • Vermes visíveis na pele ou região traseira do cão – Alguns vermes específicos podem aparecer como pequenos segmentos se movimentando em determinadas regiões, sobretudo na lateral do ânus do animal, já que os ovos sobrevivem e se proliferam na sujeira.
  • Raspar ou coçar a parte traseira – Se seu cão mostra sinais de irritação ao redor da traseira, isto pode estar acontecendo devido a vermes na região, porém isso também pode ser por problemas relacionados a glândula.
  • Vômitos com vermes visíveis – se seu cão está com vermes, ele pode ser visível no vômito.
  • Estômago ou barriga estufada
  • Aumento de apetite, perda de peso e fraqueza
  • Diarreia com sangue
  • Pelo sem brilho
  • Dor abdominal
Os diversos tipos de vermes em cães podem ser encontrados no intestino, coração, estômago, esôfago, pulmão e rins. Ou seja, atacam e agem diretamente nos órgãos vitais dos peludinhos, causando desconforto, diminuindo a vida do animal e nos deixando super preocupados até descobrir a causa.
10008508_708844242470073_764420235_n
Os vermes provocarão irritação nos cães, infecção e destruição dos tecidos e mucosas dos órgãos onde se alojam devido a sua fixação; obstrução de vasos e dos órgãos ocos devido ao acúmulo de parasitas; espoliação de células e substâncias alimentares quando alojados no intestino, de onde retiram vitaminas e outros elementos vitais; além da ação tóxica causada pelas exotoxinas e endotoxinas que produzem. Daí teremos uma infinidade de danos nos nossos peludinhos: órgãos afetados e com seu funcionamento comprometido, obstrução ou ruptura intestinal, anemia, diarreia, vômito, convulsões, pneumonia, emagrecimento progressivo, pelos ásperos e sem brilho, crescimento tardio, predisposição a outras doenças, menor absorção e digestão dos nutrientes, perda de sangue e proteína.
Mas lembre-se: cães com aspecto saudável também podem ter vermes! Portanto, é fundamental que os cães sejam vermifugados corretamente e que sejam feitos exames de rotina regularmente.
Outro motivo para se preocupar é o fato de que algumas parasitoses de cães são transmitidas aos homens e são perigosas para nós humanos também, especialmente para crianças. Assim, a vermifugação deve ser feita no mínimo 2 vezes por ano, durante toda a vida dos cães, não deixando de fazer o reforço da primeira dose, que pode ser em 15 ou 21 dias. O controle preventivo é a melhor maneira de proteger seu amiguinho.
Assim, manter idas ao veterinário regulares, auxiliará a detectar qualquer sintoma. O veterinário será capaz de recomendar os tratamentos adaptados ao estilo de vida de seu cão. Esteja ciente de que nem todo produto é eficiente contra todo tipo de verme. Na suspeita de parasitismo em um cão, o veterinário provavelmente fará um exame de fezes antes de receitar o vermífugo certo.
Os vermífugos podem ser administrados sob a forma de comprimido, líquido, pasta ou spot-on. Leia as instruções com atenção antes de usar o medicamento e ajuste a dose de acordo com o peso corporal de seu cão, sempre respeitando as indicações do veterinário.
1527981_708837532470744_1644005130_n

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Locus B - FÍGADO / CHOCOLATE


O Gene Fígado

O gene fígado ocorre no locus B. É recessivo, então b é o fígado e B é não-fígado, e então para um cão a ser fígado ele deve ter o genótipo bb. Isto significa que um filhote de cachorro fígado pode ser nascido de pais negros, se ambos são portadores do gene do fígado (ou seja, se ambos são Bb, então pelo menos um cachorro em quatro serão bb.

Os diferentes genótipos de cor pigmento são:
BBdd ou Bbdd - azul (não fígado, diluída)
BBDd ou BBDD - preto (não fígado, não diluída)
bbdd - isabella (fígado, diluída)
bbDd ou bbDD - fígado (fígado, não diluída)

O gene fígado afeta somente a eumelanina (pigmento preto). Todo o preto da pelagem vai ser transformado fígado, quando um cão é bb sobre o locus B. É geneticamente impossível para um cão fígado ter mesmo que um fio de pêlo preto ou cinza em sua pelagem, ou um cão preto ou azul ter o fígado em seu revestimento. Todo o pêlo de um fígado será tons de marrom, de vermelho (tan) ou branco de acordo com os outros genes presentes.



Fígado também transforma o nariz marrom nariz e os olhos âmbar (ou castanho claro).



Nariz preto (esquerda) e do nariz fígado (direita).



Olhos castanhos em um cão preto (esquerda) e olhos cor de âmbar em um cão fígado (à direita).

A cor do nariz é a principal maneira de diferenciar um exemplar fígado de um preto ou azul. Às vezes os cães nascem com apenas phaeomelanin (vermelho) em sua pelagem (por exemplo, sable ou vermelhos recessivos), mas estes cães ainda terão uma das cores do pigmento eumelanina - preto, azul, fígado ou isabella. Esta cor de pigmento será visível no couro do nariz. Se não houver nenhuma eumelanina no revestimento, não vai, na maior parte dos casos, ser eumelanina no nariz e olhos, de modo que o pigmento de cor podem ainda ser identificados.



Apesar de tratar aqui apenas os genes b e B, foi descoberto que há uma variedade de diferentes genes recessivos que causam fígado, todos localizados no locus B. Estes são muitas vezes rotulados b c, b d e b s. Muitas raças transportam mais do que um destes genes, b s e b sendo a mais comum d, e b sendo o tipo mais raro c. As diferenças de tonalidades de fígado são provavelmente causados ​​por outros modificadores.



Fígado sólido.



Fígado com manchas brancas. O Pointer é um malhado fígado com leve ticking. O Springer Spaniel Inglês tem luz de ticking meio de suas pernas e focinho. O Dálmata tem manchas de fígado, que são uma forma modificada.



Os dois Cocker mostrados aqui são um excelente exemplo do efeito do gene do fígado. Ambos são piebalds com roaning, mas o cão à esquerda é um preto dominante e à direita é um fígado.



Fígado com manchas castanhas tradicionais (bba t a t). O Australian Shepherd também tem manchas brancas padrão spotting.



Fígado / Agouti. Com o vermelho / bronzeado na pelagem virou-se para branco pelo locus intensidade.



Merles fígado (bbMm), com pontos de tan (a t a t).



Cães vermelhos com pigmento fígado. Todos estes cães são ou sables hepáticas (bba y a y) ou vermelhos recessivos com pigmento fígado (bbee).



Fígado com o gene grisalhos.


"Vermelho" e "Chocolate"

Às vezes, o fígado é dado nomes diferentes. No Labrador é conhecido como o chocolate, e em algumas raças, é conhecido como vermelho ou castanho. Merles fígado também são comumente chamados de "merles vermelhos". Este é um termo incorreto. "Vermelho" é, em termos genéticos, feomelanina, não eumelanin, por isso tenha cuidado ao usar termos como "merle vermelho" e certifique-se de saber o que eles realmente significam. Não há tal coisa como um verdadeiro "merle vermelho", porque o gene merle não afeta o pigmento vermelho (feomelanina), apenas preto, fígado, azul e isabella (eumelanina). Às vezes os cães fígado com pontos de tan e marcas brancas também são chamados de "tricolores vermelhas" - mais uma vez, isso pode ser enganador.
Fígado Look-A-Likes

Há um tom escuro de vermelho (feomelanina), que pode parecer muito semelhante ao fígado. Esta cor é encontrada principalmente em gundogs como o setter irlandês e galês Springer Spaniel. Estes cães podem ser distinguidas a partir de fígados pelo seu pigmento preto no nariz.

Também deve ter cuidado para não confundir um cão preto sólido com um fígado. Claro, isso parece bobagem - como você poderia confundir preto com o fígado? Bem na verdade é surpreendentemente fácil em raças de pêlos longos. Quando um cão preto tem pêlo longo, o pêlo pode virar uma sombra marrom, principalmente se o cão está fora por longos períodos de tempo. Este é chamado o bronzeamento, e não tem uma base genética, mas é meramente ambiental. Em uma fotografia, um cão bronzeado pode se confundir se é um cão é preto ou fígado, mas ao vivo, você deve ser capaz de dizer, pela cor nariz.



O Setter (esquerda) mostra uma profunda coloração vermelha, sendo ele um vermelho recessivo, ee. Já o australiano (direita) tem uma pelagem avermelhada muito semelhante, mas, de fato, este cão é um verdadeiro fígado (bb), mostrando o quão difícil pode ser às vezes para diferenciar o fígado e o vermelho. Em geral, o fígado é mais puxado para o chocolate do que o vermelho, mas parece que há exceções.


Tipos de Cruzamentos Entenda um pouco mais!



Antes de tudo, e como preâmbulo, deve-se ressaltar que todos os seres vivos compartilham uma série de gens, sejamos da espécie ou raça que sejamos.

Assim ao cruzar dois cães de raças diferentes, e, apesar de suas diferenças, sempre haverá uns gens que serão comuns a toda espécie canina.

Podemos ir mais adiante e dizer que outros gens seriam iguais em todos os mamíferos, outros resultariam comuns a todos os quadrúpedes e, para ir mais longe, outros similares a todos os seres vivos.


Outcross: É um cruzamento realizado sem consangüinidade próxima ainda que os pais pertençam a mesma linha. Se utilizam exclusivamente critérios de seleção. O exemplo extremo poderia ser o cruzamento de dois exemplares de distinta raça (cold outcross) que produziria uma descendência mestiça com tendência a zero em homozigose e máximo em heterozigose.


Linebreeding: Cruzamento em linha. Consangüinidade pouco intensa. É um termo inventado pelos criadores para definir uma forma mais difusa e pouco intensa de inbreeding. Se pode levar a cabo de muitas formas.


Um procedimento se fundamenta em deixar uma geração livre entre meio de dois acasalamentos consangüíneos. Por exemplo: neto com avó ou neta com o avô. No meio há que se deixar pelo menos um cruzamento em outcross.

Dado que os exemplares de cães de raça pura descendem de relativamente poucos exemplares de base (de origem) poderíamos dizer que a idéia de raça coincidiria em linhas gerais com a definição de linebreeding. Em termos de criadores se usa somente quando se toma em conta um máximo de cinco ou seis gerações.


Inbreeding: Nele se realiza uma consangüinidade mais intensa. Na realidade é um linebreeding de caráter muito intenso. Consiste em cruzar irmãos entre si ou pai ou mãe com filha ou filho. Geralmente o mais jovem dos pais, se cumpre os requisitos que buscamos, se aparenta com seu filho. Tio com a sobrinha, tia com o sobrinho e primos irmãos, são considerados por alguns inbreeding e por outros linebreeding. Geralmente é o que nos seres humanos seria considerado incesto.

Seria absurdo pensar em efetuar tanto inbreeding como linebreeding, como qualquer outro tipo de cruzamento, sem fixar-se com antecedência no fenótipo dos progenitores. A seleção deve ser sempre previa.


A QUARTA VIA: Existe outra forma de conseguir o máximo de homozigose sem efetuar consangüinidade e por meio do outcrossing. Por sua dificuldade não se emprega e em sequer se tem em consideração na criação normal. Por dar um exemplo muito claro: dois cães de raças totalmente distintas que tenham como fixo uma cor, se cruzarem entre si produzirão mestiços dessa cor.

Isso quer dizer que distintos criadores da mesma raça de cães, cujos exemplares não tiveram nenhuma relação de parentesco entre si, poderiam perfeitamente conseguir homozigose para os mesmos traços que se estivessem intimamente aparentados. Por exemplo: igual tipo de cabeça, cor, altura, etc. Cruzados portanto entre si fixariam suas características de igual maneira que se houvessem empregado inbreeding, porém sem nenhum de seus inconvenientes.

Por razões obvias de logística e econômicas isto é muito difícil de coordenar. Uma maneira de conseguir algo parecido seria trabalhar com um standard muito rígido que unificaria todas as características raciais de uma maneira tal que não houvera outra saída que criar sob a mesma tipología.

Todas as raças são obtidas empregando elevadas doses de consangüinidade e essas altas doses de consangüinidade se seguem empregando pelos criadores para poder formar suas linhas, aproximar-se de seu tipo ideal e, o mais importante, fixá-lo como próprio.

A consangüinidade fixa simultaneamente características desejadas e caracteres defeituosos. Se requer grande energia e honestidade para eliminar da criação aos exemplares com defeitos e fixar somente as características buscadas.

Nos Estados Unidos se emprega com intensidade. Não está demasiadamente bem vista na Europa, exceção feita a Inglaterra. Em alguns países, como a Holanda, foi proibido recentemente os cruzamentos inbreeding. E não somente na Europa, na República do Equador, por exemplo, estão proibidos os acasalamentos com mais de quarto grau de consangüinidade.

Vejo muito difícil que consigam fixar um tipo, ou eliminar defeitos, ou obter qualquer efeito que requeira um modelo.

Pessoalmente penso que há outros métodos de zelar pela saúde dos animais e que não devemos extrapolar ao mundo animal critérios antropocêntricos.

A consangüinidade, que tem uma tradição milenar, não é nem boa e nem má por definição, é uma ferramenta que se emprega bem, se sabe-se, ou mal se não se sabe. Nos cães. igual que em qualquer ser vivo, a influência dos ascendentes diminui de geração em geração.

Nos pais se pode calcular que se reparte a influência em 50%. Nos avós em 25%. Os bisavós em 12,5%. Na quarta geração se reparte a influência em 6,25% e a quinta em 0,32%. Desse modo, a partir da sexta ou sétima geração qualquer aporte se veria tão diluído que não valeria a pena ser levado em conta.

Dos pais e os avós se pode esperar ver a influência direta nos descendentes, a partir desse momento a responsabilidade genética se modera. A isso há que acrescentar que os antecessores deixam seu traço tanto mais quanto mais homozigóticos sejam.

Um criador experiente, com um projeto de criação bem planejado e começando com uma cifra preliminar de poucos exemplares, ainda que não sejam parentes, poderá em poucas gerações obter um biótipo próprio diferenciado de outros usando a consangüinidade e a seleção com habilidade.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Criar é uma arte, um ato de amor!

Muitos chamam os criadores de mercenários, e etc, mas os gastos, e tempo dedicados são enormes.
Um criador como eu que cuida de cada um pessoalmente ,não consigo tirar férias, não consigo viajar por dois dias , não consigo levar minha família a praia! Temos que nos dividir para aproveitar. Criar é uma arte, mas muito cansativa e dispendiosa!
Quem acha que vivo da criação se engana! Quem acha que criação da lucro se engana!
Se não possuir um emprego, uma certeza o criador passa trabalho! Essa é a verdade!
Aqui no Milk House, não temos funcionários, não temos ninguém para limpar cocô, xixi, lavar canil e etc, somos nós! FAMÍLIA LEITE.
Eu, minha esposa meus filhos que me ajudam a cuidar, alimentar, banhar, escovar, vermifugar, cuidar de possíveis brigas, sim pois machos brigam quando as meninas estão no cio, eu também crio Dachshund tem q separar as raças, cuidar as puladas de cerca, pois o nosso pátio é de livre acesso a eles, nossa casa , a vigilância é constante, damos amor, carinho atenção!
Nossa maternidade é no MEU QUARTO , fizemos um closet, onde cuidamos as mamães , ninhadas e etc, mas em toda nossa casa tem cães, tenho filhotes na sala, no quarto dos meus filhos, revezamos quem dorme aqui dentro de casa para que todos tenham amor, carinho e atenção!
Muitas vezes não podemos dar um passeio, uma viagem em família, um fim de semana que seja, sabem porquê?
PORQUÊ ESCOLHI CRIAR, ESCOLHI ESTUDAR E MANTER ESSES CÃES, ESSA LINHAGEM QUE TANTO PREZO, TEMOS UM PRAZER IMENSO DE ENTREGAR UM FILHOTE SAUDÁVEL E CARINHOSO PARA SUA FAMÍLIA!
PORTANTO ANTES DE QUESTIONAR VALOR DOS MEUS FILHOTES, PENSE QUE AMOR, CARINHO E RESPONSABILIDADE ALIADOS A PADRÃO RACIAL, VOCÊ NÃO SE ENGANE COM FILHOTINHOS BARATINHOS QUE VOCÊ ACHOU POR AI...
Maioria é fruto de canis clandestinos, que abusam dos animais sem respeita-los, sem cuida-los direito, sem se preocupar com melhoramento genético, cruzam qualquer cão. Nem todo cão pode reproduzir, um cão agressivo passará isso ao seu filhote, e depois se o seu filhote morder o filho do eu cliente?
Tudo isso é estudos estudos e mais estudos, conhecer o que cada um trás consigo, não irá aprender em 1, 2, ou 5 anos... Isso requer tempo! Muito tempo...
Valorize meu trabalho, pois eu valorizo os cães!


sexta-feira, 4 de novembro de 2016

FEIRAS DE FILHOTES, O QUE HÁ POR TRAS DELAS…

Num primeiro momento não parece nada demais uma feira de filhotes de raça, onde os criadores expõem seus filhotes e ao mesmo tempo as pessoas teriam uma grande opção de escolha do seu cãozinho.
Porem há um problema, cachorro não é mercadoria para ser exposto assim. 
Em primeiro lugar quando decidimos ter um cachorro precisamos avaliar uma serie de fatores. O perfil  da família, espaço da casa, as condições financeiras ( já que não temos atendimento veterinário publico).Ao contrario do que parece cães adultos, normalmente, são mais tranquilos de lidar. A vantagem de ter o filhote, é que você pode ensina lo a se comportar já desde pequenininho para que ele cresça sem maus hábitos, porem isso só vale quando você realmente se dedica a este filhote, se não você acaba criando um cão com problemas de comportamento, desenvolvidos pela sua falta de conhecimento, e, sendo este um dos motivos de abandono.
Se você escolheu um cachorrinho de raça, você precisa pesquisar muito sobre ela, para saber o que este cachorro vai trazer de personalidade, atitudes, problemas de saúde próprios da raca, e principalmente, se a sua família realmente esta afinada com as caracteristicas dela.
Nesse sentido os cães sem raça definida são mais fáceis, mais maleáveis, pela diversidade na sua genética.
fc3a1brica-de-filhotes-cc3a3es-de-rac3a7a-2
Mas a final o que a feira de filhotes tem a ver com isso? Este evento vai totalmente contra o jeito certo de se adquirir um animal, pois nao se tem nenhum cuidado com os pais destes filhotes, eles, em maioria das vezes, são explorados e mau tratados, pelos cafetões que usam as matrizes indiscriminadamente, sem nenhum cuidado veterinário, parindo a cada cio, os machos cruzando sem parar com varias cadelas, estes cães vivem em gaiolas, passam anos e anos sendo ESCRAVOS de pessoas que não tem amor nenhum pelos animais. VOCÊ QUER FINANCIAR ISSO?É claro que não, eu indico adoção, mas já que você quer um cachorro de raca, procure um criador serio, que cria uma no máximo duas raças, pois ele é especializado, os cães dele são amados, cuidados 
NÃO FINANCIE ESCRAVIDÃO ANIMAL, SE INFORME E ESCOLHA O CERTO

A todos que pensam em comprar um cãozinho de raça, gostaria de escrever alguns fatores importantes antes de comprar o seu amado e bonitinho filhote!

Nesse mundo de criadores de cães temos 2 tipos de criadores! Os criadores sérios que se preocupam com seus cães e com a raça; e os que denominamos criadores “vendedores de filhotes”, que não se importam muito com os cães ou a raça e querem só tirar a sua parcela de vendas!
Um criador “vendedor de filhote” é aquele criador que somente se preocupam em vender filhotinhos. Gasta o mínimo possível com seus cães e tem que obter lucro sempre com as ninhadas, não importando o que ele tenha que fazer pra conseguir esse lucro, sendo dando rações de péssima qualidade, deixando de levar os cães no veterinário quando é necessário, não fazendo exames genéticos e de saúde, fazendo as cadelas terem ninhadas a todo cio ou vendendo os filhotes encalhados em “liquidação” pra despachar rápido os gastos com ração e vacinas. Esses criadores muitas vezes tem a opção de vender os filhotes com pedigree e sem pedigree e que o preço entre essa diferença é mais de 150 reais, o que é completamente errado já que o preço de um pedigree é 30 reais. Esses criadores irão cruzar qualquer cão que pareça com sua raça com qualquer cadela que pareça com sua raça e vão tentar vender os filhotes. Criadores vendedores de filhotes muitas vezes garantem alguma característica “especial“ e geralmente totalmente errada como micro-toy, gigante, cor rara, micro,teacup  olhos azuis (no caso dos shih tzus é totalmente errado ,  que geralmente está ligada a uma mistura de raça ou a problemas genéticos. Vendedores de filhotes irão ser muito queridos e irão dizer que a raça que eles têm é perfeita pra qualquer tipo de pessoa. Vendedores de filhotes irão entregar seus filhotes já com 35 dias pra diminuir seus gastos. Vendedores de filhotes nunca vão esperar 2 anos de uma cadela pra ela ter filhotinhos! Sempre irá cruza-la após o segundo cio se não no primeiro ou segundo mesmo. Vendedores de filhotes não se importam com o tipo de casa e rotina que o proprietário tem pois o negocio deles é vender o filhote independente de o filhote ter uma vida terrível ou não.
Agora falemos dos criadores sérios!
Criadores sérios são raros! A cada 100 ou 1000 criadores se acha apenas um sério (ou nem isso). Criadores sérios sepreocupam com suas raças e seus cães e tem sua fonte de renda de outra forma que não seja os cães!
Criadores sérios nunca obtém lucro com sua criação, pois os gastos que eles tem com ela são muito elevados!
Um criador sério não pensa em tirar ninhadas pra vender filhotinhos fofinhos e sim planeja suas crias com o objetivo de melhoramento da raça, independente de os proprietários preferirem determinada cor de pelo, cor de olhos ou tamanho!
Criadores sérios sempre estudam a fundo os padrões de suas raças e pedigrees de seus cães, tentando saber como eram os avós, bisavós, trisavós, tataravós e muitas gerações anteriores dessas pra saber o que a genética desses cães pode trazer pra suas ninhadas! Criadores sérios sempre procuram os cães “problema”, que apresentaram alguma doença genética ou falta grave em sua raça e tentam não usar esses cães em suas linhas.
Criador sério sempre vai ter canil e pedigree registrados em federações idôneas, cadastradas a FCI (Bélgica) ou que a FCI reconheça como idônea. Criadores sérios nunca irão usar cães que não se conhece a origem (seus familiares) ou que seu pedigree esteja incompleto.
Criadores sérios sempre farão os exames pertinentes a sua raça, por exemplo, no Husky Siberiano farão os exames de displasia coxofemoral e cotovelos, fundoscopia anual e muitos irão fazer o exame genético pra Atrofia Progressiva da Retina tipo XL (PRA-XL).
Um criador sério não cruza suas fêmeas com menos de 2 anos e seus exames feitos e todos ok.
Um criador sério não tira mais de 4 ninhadas na vida de uma fêmea e sempre dá um intervalo de pelo menos 1 cio entre as ninhadas.
Um criador sério não irá poupar dinheiro quanto a uma boa ração pros seus cães, que deixe seus cães na melhor forma possível e com ótima saúde!
Um criador sério dá assistência pros novos proprietários por toda a vida do filhote vendido, independente do que aconteça e da dificuldade que o proprietário tenha! Os cães que o criador sério põe no mundo são sua responsabilidade e ele irá zelar por isso!
Um criador sério sempre irá ter um contrato de compra e venda pros filhotes e sempre terá uma cláusula falando sobre a importância de castração ou mesmo já entregam o filhote castrado para o novo proprietário.
Um criador sério jamais põem seus filhotes em feirinhas de filhotes, pois sabe dos riscos dos seus filhotes pegar alguma doença ou mais, do risco de alguém se encantar com um filhote e depois não querer mais ou até mesmo de seus filhotes acabarem nas mãos de “vendedores de filhotes” sendo fábricas de ninhadas.
Um criador sério não terá filhotinho baratos e em liquidação a venda! O valor que ele apresenta em seus filhotes é meramente simbólico, pois os gastos que ele tem com seus cães é muito maior. E muitas vezes quem compra um filhotinho barato, de 300 reais, achando que fez um bom negocio, corre o risco de gastar 10 ou 20 vezes mais em veterinário com doenças virais ou até mesmo doenças genéticas.
Um criador sério sempre irá indicar adotar vira-latas em ONGs pra pessoas que não tem experiência ou dinheiro suficiente pra comprar e bancar um filhote de sua criação.
Um criador sério sempre irá aceitar de volta um filhote seu caso o proprietário não possa mais cuidar.
Um criador sério só entrega seus filhotes depois dos 75 dias, quando sabe que já está socializado e educado pela mãe e acostumado com o convívio com outras pessoas e cães.

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Shih Tzu o Cão Ideal para Apartamento

Muitas pessoas ainda ficam na dúvida sobre ter ou não um cãozinho por morar em apartamento, principalmente o de menor metragem. É claro que uma casa ou um ambiente mais espaçoso é confortável para humanos e animais de estimação, mas o fato de morar em apartamento ou ambientes menores não é um impedimento para ter um pet. Só é preciso ter bom senso e escolher os cães de porte compatível e que tenham um perfil mais calmo e coerente com seu espaço e seu condomínio rs.
Shih Tzu sem dúvida é raça ideal para esses espaços e se adaptam super bem.  Mas vale ressaltar que cada cão tem um temperamento, mesmo que algumas raças sejam mais calmas que outras, por isso é muito importante pesquisar bem antes de escolher. Os cães da raça Shih Tzu, em sua maioria, são tranquilos e quase não latem, são mais preguiçosos que um gato e dormem o dia todo se deixar rsrs, não possuem muita necessidade de exercícios físicos, mas precisam de atividades ao ar livre, e vivem bem em ambientes pequenos.
Veja algumas dicas de como cuidar do seu pet em ambientes pequenos. É imprescindível prezar pelo bem-estar físico e psicológico do seu cãozinho:

  • Espaço interno: pense no espaço mais adequado a ele. Não se limite a área de serviço, exceto em fase inicial de confinamento e/ou aprendizado das necessidades. Muitas pessoas acabam por deixar o cãozinho sempre na área de serviço e isso não é legal. O ideal é estipular o máximo de circulação possível para o seu pet, levando em consideração a segurança dele também. Mantenha esse espaço seguro e sem muitos fios ou objetos que possam causar algum acidente. Aqui em nosso apartamento a pequena Melissa fica com quase todo espaço livre para ela, pois, como passamos o dia fora, optamos por deixá-la mais a vontade.
  • Varanda ou sacada: quem mora em apartamento e possui esse espaço extra é muito bom, mas é preciso torná-lo seguro. Aqui em casa providenciamos as telas protetoras, assim a Mel fica a vontade em mais um espaço. Aproveitei que minha sacada tem um espaço legal e inclui o banheiro dela nesse ambiente, é mais fácil de limpar!
base
  • Passeios regulares: o passeio é um item que faz bem para ambas as partes rsrs. Sair regularmente com seu cãozinho faz bem para o corpo e pra mente, todo mundo fica feliz. O passeio é uma das opções para o seu cãozinho gastar energia e passar o tédio. Para quem mora em apartamento, o passeio no Play ou no estacionamento também vale, principalmente nos dias chuvosos ou quando a cadelinha está no cio.
  • Brinquedos: os brinquedinhos fazem toda a diferença: ter brinquedos educativos e de entretenimento são excelentes para passar o tempo e garantir a diversão do seu cão. O enriquecimento ambiental também é uma ótima dica para o seu Pet.
20150311_222501
  • Limpeza: muitas pessoas questionam se o cão deixa um cheiro desagradável no apartamento. Todo cachorro tem cheiro, uns mais fortes que outros. Mas atualmente existem mil maneiras de você deixar a sua casa perfumada e sem nenhum cheiro desagradável por conta do animal (muitas vezes, nem é culpa dele, tadinho rs). Mantenha a casa limpa regularmente, higienize o cãozinho com banho seco ou lencinho quando já tiver uns 5 dias do  último banho, higienize o sanitário do seu pet, e como produto de limpeza use o Herbalvet.

Se tiver mais dúvidas, mande pra gente! Iremos adorar ajudar!